ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Executiva do MDB prorroga por um ano mandato de direção partidária e Jucá fala em eleger maiores bancadas

21/02/2018 18h34

(Reuters) - A Executiva Nacional do MDB prorrogou nesta quarta-feira por um ano, a partir de 2 de março, os mandatos dos integrantes da direção partidária e o presidente da legenda, senador Romero Jucá (RR), disse que a sigla pretende eleger nas eleições de outubro as maiores bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado.

"Acabamos de encerrar a reunião da Executiva Nacional, que prorrogou o mandato por mais um ano dos órgãos de direção partidária nacional... exatamente para dar mais condição de unidade e de operação para o MDB", disse Jucá em vídeo divulgado no Twitter do partido.

"Nós queremos um partido unido, nós queremos estar discutindo as eleições de 2018 levando a nossa mensagem e elegendo a maior bancada federal tanto no Senado quanto na Câmara", disse o senador, que também é líder do governo no Senado.

O encontro serviu, ainda, para discutir a distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral para os candidatos do partido a deputado federal e senador.

No vídeo, Jucá também fala que o partido terá um grande número de candidatos a governador sem mencionar expressamente a possibilidade de uma candidatura própria do MDB à Presidência da República.

Recentemente tem sido aventada a possibilidade do próprio presidente Michel Temer tentar a eleição ao Palácio do Planalto em outubro e essa hipótese não foi descartada na terça-feira pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. [nL2N1QA0G2]

Nesta tarde, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que "hoje a posição do presidente é clara no sentido de não disputar as eleições", mas ressaltou que "se ele vier no futuro a cogitar da possibilidade de disputar a eleição, ele tem condições de fazê-lo".

A alta impopularidade do presidente, cujo governo tem avaliação negativa de 70 por cento, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada em janeiro, pode, no entanto, ser um obstáculo a uma postulação de Temer ao Planalto.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Mais Economia