ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

EDP Brasil prevê concluir operações de compra de fatia na Celesc em abril

28/02/2018 14h30

SÃO PAULO (Reuters) - A EDP Brasil, empresa do grupo português Energias de Portugal, deverá concluir até abril operações para a compra de uma participação relevante na elétrica estatal catarinense Celesc, disse a jornalistas nesta quarta-feira o presidente da companhia, Miguel Setas.

A unidade brasileira da EDP anunciou em dezembro um acordo para a compra de uma fatia de 14,5 por cento na Celesc detida pela Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, por 230 milhões de reais. A participação representa 33 por cento dos papéis ordinários e 1,9 por cento dos preferenciais.

A operação deverá ser concluída na primeira semana de março, quando a EDP Brasil então lançará uma oferta pública de aquisição (OPA) voluntária para comprar até mais 32 por cento das ações preferenciais da Celesc em circulação no mercado.

"No final de abril, se tudo correr bem, essa transação estaria concluída", afirmou Setas.

Ele defendeu ainda que o investimento na Celesc, visto no mercado como uma aposta na futura privatização da empresa, será um bom negócio mesmo se a elétrica seguir com controle estatal.

"Não temos nenhum horizonte temporal para a privatização... achamos que esse investimento, pela sua dimensão e pelas condições em que está sendo efetuado, é de baixo risco, e no nosso ponto de vista se justifica e se rentabiliza mesmo que não haja um cenário de privatização", afirmou.

Ele afirmou que a Celesc deverá ter uma boa melhoria de desempenho nos próximos anos e ressaltou que o Estado de Santa Catarina possui um bom ambiente de negócios para investidores.

"A escolha de Santa Catarina para nosso investimento é uma escolha que tem a ver em participar com a qualidade do ambiente institucional no Estado... foi algo que nos chamou a atenção e nas nossas prioridades de investimento nos levou a tomar essa decisão", explicou.

Controlada pelo governo de Santa Catarina, com 50,2 por cento das ações ordinárias e 20,2 por cento no capital total, a Celesc é responsável pela distribuição de eletricidade no Estado e possui ativos em geração e transmissão.

TRANSMISSÃO

O presidente da EDP Brasil disse que a companhia também seguirá buscando oportunidades de crescimento em transmissão de eletricidade, onde estreou em 2016, ao arrematar uma concessão em um leilão do governo, mas com um menor ímpeto devido à elevação da competição no segmento.

A companhia arrematou mais concessões de transmissão em 2017 e agora soma 1,3 mil quilômetros em linhas a serem construídas nos próximos cinco anos, com investimento estimado de 3,1 bilhões de reais.

"Nossa intenção é continuar a avaliar oportunidades que vão aparecer nos próximos leilões, mas a impressão também é que o ambiente competitivo na nossa avaliação é muito intenso, muito acirrado. Portanto nossa expectativa é relativamente moderada com relação a novos investimentos em curto prazo... somos exigentes com a rentabilidade", afirmou Setas.

Ele destacou que o primeiro empreendimento da companhia no setor, que precisa ser entregue em agosto de 2020, teve a licença ambiental de instalação emitida sete meses antes do esperado. A companhia já estimava anteriormente concluir a linha com 10 meses de antecedência.

"Tendemos a ser conservadores nessa soma, mas se tudo correr bem temos 17 meses (de antecipação)", disse Setas.

"A expectativa que temos é que os bons resultados que tivemos em geração, de antecipar as usinas que construímos, sejam transponíveis para o segmento de transmissão. E começamos bem", adicionou.

(Por Luciano Costa)

Mais Economia