ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

Bovespa perde força com bancos e piora em Petrobras

13/03/2018 12h44

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice de ações da B3 perdia força nesta terça-feira e voltava a oscilar abaixo dos 87 mil pontos, pressionado particularmente pela queda das ações de bancos, mas também com a piora de Petrobras na esteira do recuo dos preços do petróleo.

Às 12:39, o Ibovespa caía 0,34 por cento, a 86.601 pontos. Na máxima, o índice subiu 0,5 por cento, a 87.333 pontos.

O volume financeiro do pregão somava 3,36 bilhões de reais.

A reversão dos ganhos locais ocorria conforme Wall Street também reduzia os ímpeto, apesar da divulgação de dados benignos sobre inflação nos Estados Unidos. No começo de tarde, o S&P 500 recuava 0,1 por cento.

Agentes financeiros, contudo, ainda enxergam um cenário positivo para o mercado acionário brasileiro, dado o ambiente externo ainda favorável e o juros baixos locais, com a atividade econômica também melhorando.

DESTAQUES

- ITAÚ UNIBANCO PN cedia 0,87 por cento e BRADESCO PN perdia 0,99 por cento, após ganhos acumulados de 2,5 por cento e 2,95 por cento, respectivamente, nas duas sessões anteriores. O setor bancário do índice como um todo recuava, mas apenas esses dois papéis respondem por quase 20 por cento do Ibovespa.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíam 0,09 e 0,25 por cento, respectivamente, conforme os preços do petróleo passaram a recuar mais de 1 por cento no exterior. Agentes financeiros também seguem na expectativa do resultado da petroleira previsto para esta semana e de um desfecho sobre a revisão do contrato da chamada cessão onerosa no pré-sal.

- VALE ON perdia 0,24 por cento, revertendo ganhos verificados mais cedo, em nova sessão negativa para os preços do minério de ferro na China.

- ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON recuavam 1,81 e 1,97 por cento, respectivamente, após fortes ganhos este ano em meio a expectativas relacionadas à desestatização da companhia. O setor elétrico como um todo tinha uma sessão negativa, com o índice que reúne as companhias caindo 0,67 por cento.

- JBS ON valorizava-se 2,65 por cento, engatando a terceira sessão de alta. No radar, seguem as especulações acerca de uma eventual venda da participação do BNDES na empresa de alimentos.

- SUZANO PAPEL E CELULOSE subia 1,36 por cento, recuperando-se de perdas na véspera, conforme segue influenciada pelo noticiário relacionado a uma possível combinação de negócios com a FIBRIA, que recuava 0,65 por cento, após renovar máxima histórica intradia na véspera. O BNDESPar confirmou nesta terça-feira que recebeu proposta da holandesa Paper Excellence para aquisição de sua participação na Fibria. Também, analistas do Credit Suisse elevaram os preços-alvos de Fibria e Suzano.

(Por Paula Arend Laier)

Mais Economia