Bolsas

Câmbio

Instituições de ensino superior e básico suspendem aulas em meio à greve de caminhoneiros

Por Gabriela Mello

SÃO PAULO (Reuters) - Os efeitos da greve de caminhoneiros já vão além da crise de desabastecimento e começam a ser sentidos no setor de educação, com universidades e escolas em várias partes do país decidindo suspender as atividades diante da dificuldade de professores e alunos em comparecer às aulas.

Motoristas autônomos iniciaram na segunda-feira passada um protesto nacional contra tributos que elevam o custo do diesel, bloqueando estradas e rodovias do país, um movimento que se refletiu no abastecimento de itens alimentícios e combustíveis.

O governo federal cedeu a uma série de reivindicações da categoria, mas ainda restavam mais de 500 pontos de bloqueio em estradas do país nesta segunda-feira e a expectativa é de que a retomada das atividades pelos caminhoneiros será lenta.

O impacto da falta de combustíveis na circulação de transportes públicos e no funcionamento de aeroportos já compromete vários setores da economia, incluindo instituições de ensino superior e básico.

A Kroton Educacional, maior grupo de ensino superior do país, cancelou as aulas desta segunda-feira e estuda a necessidade de suspender as atividades também na terça e quarta-feiras.

"Os estudantes estão sendo comunicados via SMS e por meio das lideranças acadêmicas sobre mudanças no cronograma das aulas", disse a Kroton em nota, acrescentando que avaliações de alunos previstas para esta semana estão sendo reagendadas.

Também procuradas pela Reuters, a Estácio Participações não respondeu ao pedido de comentário, enquanto a Ser Educacional informou suspensão das atividades em alguns campi da Uninassau e da Uninabuco, no Nordeste, e também da Univeritas e da UNG em São Paulo e Rio de Janeiro.

"As avaliações da situação dos transportes estão ocorrendo constantemente para acréscimo ou retirada de unidades da lista", explicou a Ser em comunicado, destacando que as aulas serão repostas ainda dentro do cronograma inicial do calendário acadêmico.

No segmento de educação básica, o Grupo SEB manteve as portas abertas em todas as escolas, com exceção de Salvador (BA), onde todas pararam, disse o empresário Chaim Zaher.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos