Bolsas

Câmbio

Pedro Parente pede demissão da presidência da Petrobras; diretoria permanece

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente-executivo da Petrobras Pedro Parente pediu demissão na manhã desta sexta-feira, informou a empresa em fato relevante ao mercado, em meio a discussões sobre a política de preços da petroleira estatal.

A nomeação de um presidente interino será examinada pelo conselho de administração, ao longo desta sexta-feira, segundo a Petrobras.

"A composição dos demais membros da diretoria executiva da companhia não sofrerá qualquer alteração", disse a estatal.

A bolsa paulista B3 suspendeu as negociações com as ações da companhia após o anúncio.

A renúncia ocorre diante de uma forte pressão sofrida com a paralisação de caminhoneiros contra os valores do diesel, que provocou um desabastecimento generalizado e afetou diversos setores da economia.

Diante da greve, que o governo disse na quinta-feira ter chegado ao fim após acordo com a categoria, a Petrobras concordou em reduzir a frequência dos reajustes do combustível por um determinado período, contando que a União pague pelos prejuízos causados à empresa.

Em um vídeo disseminado nas redes sociais por executivos da companhia nesta semana, Parente defendeu a frequência diária de reajustes dos combustíveis nas refinarias da Petrobras, dizendo que a medida era fundamental para que a empresa defendesse sua participação de mercado no Brasil.

(Por Marta Nogueira)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos