PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Ibovespa cai e perde os 70 mil pontos com pressão de exterior e incerteza política local

18/06/2018 17h57

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice acionário da B3 fechou nesta segunda-feira abaixo dos 70 mil pontos pela primeira vez desde agosto do ano passado, pressionado pelos receios de uma guerra comercial entre Estados Unidos e China, enquanto as indefinições no quadro político-eleitoral local reforçaram o tom negativo.

O Ibovespa fechou em queda de 1,33 por cento, a 69.814 pontos. O giro financeiro somou 14,3 bilhões de reais, incluindo o exercício de opções na primeira parte do pregão, que somou 5,53 bilhões de reais.

No exterior, as preocupações sobre uma disputa comercial entre Washington e Pequim ganharam corpo após a China ameaçar impor tarifas sobre as importações de petróleo bruto, gás natural e outros produtos de energia de origem norte-americana, depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou tarifas sobre 50 bilhões de dólares em importações chinesas.

"O cenário interno está bastante indefinido... e para piorar veio essa preocupação com a relação entre China e Estados Unidos", disse o gerente de renda variável da H.Commcor Ari Santos, acrescentando que o mercado acionário deve seguir pressionado até que se tenha mais clareza em relação ao cenário eleitoral.

O índice de ações de mercados emergentes MSCI caiu 0,7 por cento. O cenário também foi negativo em Wall Street, com o S&P 500 fechando em baixa de 0,21 por cento.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíram 3,14 e 3,31 por cento, respectivamente, contaminadas pelo cenário pessimista no mercado acionário como um todo, a despeito do movimento mais positivo para o petróleo no exterior.

- VALE ON teve alta de 0,16 por cento, após trocar de sinal algumas vezes e ir de alta de 0,33 por cento na máxima a queda de 2,58 por cento na mínima. A sessão não teve a referência da cotação do minério de ferro na China devido a feriado no país asiático.

- ITAÚ UNIBANCO PN perdeu 2,03 por cento e BRADESCO PN cedeu 3,22 por cento, exercendo as principais pressões negativas no Ibovespa devido ao peso desses papéis em sua composição.

- B2W ON recuou 3,47 por cento, com o cenário negativo como um todo favorecendo um movimento de ajuste, enquanto o papel ainda acumula alta de cerca de 20 por cento no ano.

- RD ON subiu 2,5 por cento, entre os destaques de alta do Ibovespa, com investidores avaliando de forma positiva o plano de expansão da empresa e aproveitando as quedas que levaram o papel a acumular perdas de mais de 20 por cento no ano.

- JBS ON avançou 2,41 por cento, tendo no radar a melhora na recomendação dos papéis pelos analistas do JPMorgan, para "overweight" ante "neutra".

(Por Flavia Bohone)

PUBLICIDADE