PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Petrobras e Total arrematam lotes de petróleo da União, que arrecadará R$ 3,26 bi

31/08/2018 16h37

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras e a Total adquiriram nesta sexta-feira (31) 12,3 milhões de barris de petróleo, em leilão da parcela da União nos contratos de partilha de produção em três áreas do pré-sal da Bacia de Santos.

A arrecadação da União com o leilão somou aproximadamente R$ 3,26 bilhões, considerando-se o atual preço de referência do petróleo (PRP), conforme a estatal Pré-Sal Petróleo (PPSA), que administra os interesses do governo no pré-sal.

A Petrobras levou em leilão na bolsa B3 os 10,6 milhões de barris do lote do campo de Mero ao apresentar ágio zero em contrato de 36 meses, enquanto as outras concorrentes (Shell, Repsol Sinopec e Total) manifestaram ausência de interesse.

A área de Mero é explorada por um consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 40%), Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%) e CNOOC (10%).

A Petrobras também arrematou o lote do campo de Sapinhoá, composto por 600 mil barris, com ágio zero para o contrato de 36 meses.

A área de Sapinhoá é explorada por um consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 45%), Shell (30%) e Repsol (25%).

Já o lote do campo de Lula foi arrematado pela Total em contrato de 12 meses, com um volume de 1,1 milhão de barris, após ausência de interesse das empresas proponentes na primeira fase. A companhia arrematou o volume ao apresentar proposta de ágio de R$ 1 por metro cúbico.

A área de Lula é operado pela Petrobras (65%), com os sócios Shell (25%) e Petrogal (10%).

O resultado do leilão contrasta com o observado no primeiro certame, que ofertou 1,8 milhão de barris, mas terminou sem receber ofertas.

As mudanças para o leilão desta sexta-feira, que visavam justamente melhorar a atratividade, foram anunciadas pela PPSA no começo de agosto.

Os vencedores irão remunerar a União a cada retirada de carga, de acordo com o preço ofertado.

(Por José Roberto Gomes e Roberto Samora)