ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Autoridades dos EUA convidam China para novas negociações comerciais, dizem fontes

Steve Holland

12/09/2018 19h13

WASHINGTON (Reuters) - A administração Trump buscou a China para uma nova rodada de negociações comerciais enquanto se prepara para aplicar tarifas punitivas sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto nesta quarta-feira.

Autoridades lideradas pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, enviaram recentemente um convite às suas contrapartes chinesas, incluindo o vice-premiê Liu He, para realização de um novo encontro bilateral sobre comércio.

A data e o local da reunião proposta não estavam claros, disseram as fontes. Representantes de segundo escalão dos EUA e da China se reuniram dias 22 e 23 de agosto, sem chegarem a um acordo.

Um porta-voz do departamento do Tesouro não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

O convite foi inicialmente divulgado pelo Wall Street Journal. Um encontro entre funcionários de alto nível poderia reduzir preocupações do mercado sobre a escalada de guerra tarifária que ameaça envolver todo o comércio entre as duas maiores economias do mundo e elevar custos para empresas e consumidores.

Até o momento, os Estados Unidos e a China impuseram tarifas a US$ 50 bilhões em produtos um do outro em uma disputa sobre as demandas dos EUA para que a China promova grandes mudanças de política econômica, incluindo o fim das políticas de joint venture e transferência de tecnologia, reduzindo os programas de subsídio à industria e protegendo melhor a propriedade intelectual americana.

Na semana passada, o presidente Donald Trump disse que além de preparar tarifas sobre outros US$ 200 bilhões em produtos chineses, ele tinha tarifas sobre outros US$ 267 bilhões em produtos prontas para aplicação em curto espaço de tempo, "se eu quiser".

Grupos empresariais dos Estados Unidos vêm elevando sua luta contra as tarifas de Trump, com mais de 60 grupos setoriais lançando uma coalizão para pressionar politicamente a administração Trump a buscar alternativas às tarifas.

(Por Steve Holland, reportagem adicional de David Lawder e Ginger Gibson)

Mais Economia