PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Roubo de cargas cai com intervenção no RJ, mas aumentam mortes em ações de agentes de segurança

18/01/2019 17h45

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O roubo de cargas baixou no Estado do Rio de Janeiro durante o período da intervenção federal, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), órgão ligado à Secretaria de Segurança Pública, mas as mortes em ações de agentes de segurança do Estado aumentaram no período da ação dos militares.

Segundo o ISP, entre março e dezembro do ano passado, período em que vigorou a intervenção, foram 7.463 casos de roubos de cargas contra 9.454 de ocorrências em igual período de 2017, uma queda de mais de 21 por cento.

A intervenção federal na área da segurança pública do Estado do Rio de Janeiro começou em 16 de fevereiro, mas os dados foram compilados a partir de março para permitir a devida comparação com o ano anterior.

O combate ao roubo de cargas foi uma das prioridades da intervenção depois de um avanço em 2017 que fechou com mais de 10,5 mil casos em todo o Estado. Algumas empresas chegaram a cobrar mais caro pelo frete para o Rio de Janeiro e alguns motoristas aumentaram o valor do serviço ou até se recusaram a fazer entregas no Estado.

Por outro lado, os casos de mortes de pessoas em ações de agentes do Estado cresceram no período da intervenção federal, de acordo com o ISP. Ao longo de 2018 foram 1.532 mortes contra 1.127 no ano de 2017 --alta de quase 36 por cento.

Somente durante o período da intervenção foram 1.273 mortes em operações de agentes de Estado. Já o total de homicídios dolosos no Rio em 2018, quando há intenção de matar somaram 4.936, uma queda de 7,7 por cento ante 2017.

Entre março e dezembro de 2018 foram 4.027 homicídios dolosos no Estado, contra 4.364 no mesmo período de 2017. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 2018 ficou em 29 contra 32 no ano anterior.

O novo governador do Estado, Wilson Witzel (PSC), que tem adotado um discurso duro contra traficantes e outros criminosos, elogiou o resultado da intervenção e prometeu novamente frear o avanço do crime do Estado.

"A atividade policial no Estado vem mostrando a redução sensível dos índices de criminalidade... o trabalho vem sendo feito de forma eficiente. O Estado estava no colapso em termos de segurança e a intervenção ajudou muito a melhorar e vamos avançar mais ainda", disse o governador a jornalistas.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)