IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Eurostat confirma inflação na zona do euro em 1% em agosto

18/09/2019 08h41

BRUXELAS (Reuters) - A inflação na zona do euro ficou estável em agosto, no nível mais baixo em quase três anos, informou a agência de estatísticas da União Europeia (UE) nesta quarta-feira, confirmando estimativas anteriores.

A Eurostat disse que a inflação nos 19 países que compartilham o euro ficou em 1% em agosto sobre um ano antes, inalterada em relação à leitura de julho e em linha com expectativas de uma pesquisa da Reuters.

No mês, o índice de preços subiu 0,1%, abaixo das expectativas de mercado, de um aumento de 0,2%, mostraram novos dados mensais divulgados pela Eurostat.

As taxas de aumento anual de preços em julho e agosto são as mais baixas desde novembro de 2016, bem aquém da meta de inflação do BCE --abaixo, mas próxima a 2%--, apesar dos anos de estímulo monetário sem precedentes por meio de cortes nas taxas de juros e de trilhões de euros em compras de títulos.

O núcleo de inflação --que exclui alimentos e energia não processados (componentes mais ​​voláteis) e que o BCE analisa nas decisões políticas-- também foi confirmado em 1,1% em agosto na comparação anual, mesma taxa registrada em julho.

Uma medida ainda mais restrita --que expurga também os preços do álcool e do tabaco e acompanhada de perto por muitos economistas-- ficou inalterada em 0,9%.

Na semana passada, o chefe do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, prometeu estímulo monetário indefinido para reavivar a economia da zona do euro e aumentar a inflação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia