PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Opep+ deve reduzir cortes de produção de petróleo a partir de agosto

15/07/2020 10h01

Por Rania El Gamal e Dmitriy Turlyun e Vladimir Soldatkin

DUBAI (Reuters) - A Opep e aliados, incluindo a Rússia devem flexibilizar cortes de produção de petróleo a partir de agosto, à medida que a economia global lentamente se recupera da pandemia de coronavírus, disse nesta quarta-feira o ministro de Energia saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros produtores, conhecidos como Opep+, têm restringido a produção desde maio em 9,7 milhões de barris por dia, ou 10% da oferta global, depois que o vírus destruiu um terço da demanda mundial.

Após julho, os cortes deveriam ser reduzidos para 7,7 milhões de bpd até dezembro, mas o ministro saudita disse que na prática eles serão maiores, uma vez que haverá uma compensação por países que produziram além de suas cotas em meses anteriores.

Documentos da Opep+ vistos pela Reuters mostraram que os cortes devem ser flexibilizados dos atuais 9,7 milhões de barris por dia para cerca de 8,54 milhões de bpd em agosto e setembro. Isso deve-se a compensações esperadas para Iraque, Nigéria, Angola, Rússia e Cazaquistão.

"À medida que avançamos para a próxima fase do acordo, a oferta adicional resultante do relaxamento nos cortes de produção será consumida conforme a demanda continua sua trajetória de recuperação", disse o príncipe Abdulaziz.

Ele falou durante o início de um painel conhecido como Comitê Ministerial de Monitoramento Conjunto nesta quarta-feira, que está reunido para estabelecer uma recomendação sobre o nível dos cortes.

Os preços do petróleo se recuperaram para cerca de 43 dólares por barril, depois de uma mínima de 21 anos tocada em abril, abaixo de 16 dólares.

A recuperação dos preços permitiu que alguns produtores nos Estados Unidos retomassem operações. A Rússia e a Opep dependem fortemente da receita com petróleo, mas provavelmente não buscarão pressionar por uma alta maior do preços para não dar um impulso à produção dos rivais nos EUA.

Na terça-feira a Opep disse que via a demanda se recuperando em 7 milhões de bpd em 2021, depois de uma retração de 9 milhões neste ano.

O príncipe saudita disse também que as exportações do reino em agosto devem seguir estáveis, uma vez que cerca de 0,5 milhão de bpd em oferta adicional com a flexibilização dos cortes serão utilizados no mercado doméstico.

(Por Redação Opep)