PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ibovespa começa outubro em queda com cautela ditando ritmo dos negócios

01/10/2020 11h30

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava na manhã desta quinta-feira, com a incerteza sobre a questão fiscal doméstica pesando no sentimento do mercado financeiro, a despeito de um ambiente mais benigno no exterior.

Às 11:13, o Ibovespa caía 0,79%, a 93.854,85 pontos. O volume financeiro somava 4,308 bilhões de reais.

O principal índice das ações brasileiras caiu 4,8% em setembro, pior desempenho desde março. No terceiro trimestre, teve baixa de 0,5%.

A preocupação de investidores com o quadro relativo às contas públicas ainda refletia no humor do mercado, mesmo depois de o ministro da Economia, Paulo Guedes, ter defendido, na véspera, o financiamento do Renda Cidadã com a junção de recursos de iniciativas que já existem, descartando a limitação ao pagamento de precatórios para tanto.

Para analistas da Genial Investimentos, "o mercado está cada vez mais desconfiado sobre a capacidade do governo em relação às políticas fiscais".

Também chamavam atenção ruídos causados pelo atrito entre Guedes e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), após o ministro da Economia afirmar que existem "boatos" sobre acordo de Maia com a oposição para não pautar as propostas de privatizações na Casa. Mais tarde, Maia retrucou dizendo que Guedes está "desequilibrado".

Enquanto isso, o ambiente internacional começava outubro em clima mais positivo, com os índices acionários de Wall Street em alta diante de esperança de mais estímulos fiscais nos EUA, após dados mostrarem que a recuperação do mercado de trabalho norte-americano parece ter estagnado.

DESTAQUES

- NATURA&CO liderava a ponta negativa ao cair 5,3%. A companhia anunciou uma oferta pública subsequente de cerca de 6 bilhões de reais em ações a ser precificada em 8 de outubro. Também afirmou que estima que sua receita líquida no terceiro trimestre cresceu 25% a 30% na comparação com um ano antes.

- CVC BRASIL recuava 1,1%, após a companhia reportar prejuízo de 1,15 bilhão de reais no primeiro trimestre, impactada por grande baixa contábil derivada dos efeitos da pandemia de Covid-19 sobre o setor.

- BANCO DO BRASIL ON caía também 1,1%. A instituição formalizou na noite de quarta-feira parceria com o UBS para negócios de banco de investimento e corretora de valores. BRADESCO PN perdia 0,3%, enquanto ITAÚ UNIBANCO PN registrava queda de 0,7%.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíam 1,6% cada, em linha com nova queda no preço dos contratos futuros do petróleo, pressionados por perspectiva de demanda fraca. A votação do STF que definirá se a companhia tem direito de vender parte de suas refinarias sem aprovação legislativa ficou para esta quinta-feira.

- AZUL PN avançava 5,5%, maior alta do dia após ter caído quase 9% nesta semana. GOL PN tinha acréscimo de 4,5%, na vice-liderança dos melhores desempenhos do pregão no Ibovespa.