PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Nasdaq crava novo recorde em meio a rotação de setores

09/02/2021 18h12

Por Herbert Lash

(Reuters) - O índice Nasdaq escalou a uma nova máxima recorde de fechamento nesta terça-feira e o S&P 500 por pouco não engatou a sétima alta consecutiva, com investidores deixando ações de empresas de tecnologia de grande capitalização em prol de outros setores que devem se beneficiar do projeto de estímulo de 1,9 trilhão de dólares proposto pelo governo Biden.

O Nasdaq, com forte peso de ações de tecnologia, atingiu um recorde pela quinta sessão consecutiva, com ganhos de Apple Inc, Amazon.com Inc e Alphabet Inc (controladora do Google) no começo da sessão. Mas o ímpeto diminuiu, em meio a uma mudança nas alocações de portfólio.

O índice NYSE FANG+TM, que inclui Facebook Inc, Netflix Inc e Tesla Inc, bateu uma máxima recorde.

Com o número de casos Covid-19 nos EUA em queda e expectativas de que o pacote de estímulo seja aprovado no Congresso, investidores têm dificuldade em encontrar pontos negativos significativos, disse Michael James, diretor-gerente de negociação de ações da Wedbush Securities, em Los Angeles.

"Você não está vendo dinheiro saindo do mercado e indo para o caixa", disse James. "Você está vendo dinheiro saindo de um setor e sendo rotacionado para outro para manter uma tendência geral de longo prazo."

Balanços corporativos bastante positivos, juntamente com o apoio monetário e fiscal, impulsionaram os principais índices de ações dos EUA para recordes. Mas analistas alertam que as novas variantes da Covid e quaisquer falhas no lançamento de vacinas e no processo de imunização podem azedar o sentimento positivo.

O setor de energia, entre os que lideraram o rali recente do mercado, sofreu queda de 1,5%, enquanto o índice de serviços de comunicação subiu 0,2%.

O índice Dow Jones caiu 0,03%, a 31.376 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,11135%, a 3.911 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,14%, a 14.008 pontos.

(Por Herbert Lash, com reportagem adicional de Medha Singh e Devik Jain em Bengaluru)

PUBLICIDADE