PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Petrobras reduz produção em unidades de Marlim Sul por surto de Covid-19

A P-40 e a P-56 produziram juntas mais de 85 mil barris de petróleo por dia, em janeiro, segundo dados disponibilizados pela agência - Por Marta Nogueira
A P-40 e a P-56 produziram juntas mais de 85 mil barris de petróleo por dia, em janeiro, segundo dados disponibilizados pela agência Imagem: Por Marta Nogueira

Marta Nogueira

19/03/2021 14h57

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras reduziu a produção de óleo e gás das plataformas P-40 e P-56, no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, após um surto de Covid-19 ter afetado as operações da P-38, que recebe produto de ambas as unidades, informou a companhia e a reguladora ANP, em meio a um avanço de casos da doença no setor.

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, que representa os funcionários na Bacia de Campos, reportou nesta sexta-feira a morte de um operador de rádio que atuava na plataforma P-53. Desde o início da pandemia, a ANP reportou seis óbitos de pessoas que acessaram plataformas --o caso mais recente não está contabilizado.

A P-40 e a P-56 produziram juntas mais de 85 mil barris de petróleo por dia, em janeiro, segundo dados disponibilizados pela agência em seu site. A reguladora e a Petrobras não detalharam quais os volumes que deixaram de ser produzidos.

A P-38 é uma unidade do tipo FSO, sigla em inglês para a unidade flutuante que estoca e transfere o óleo produzido por outras unidades. Portanto, não tem produção própria, segundo explicou a Petrobras.

De acordo com a ANP, a tripulação da P-38 foi testada para Covid-19, e os resultados confirmaram infecção em 27 pessoas. O desembarque de funcionários será concluído nesta sexta-feira.

O coordenador-geral do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, Tezeu Bezerra, afirmou que cerca de 64 mil barris de petróleo por dia deixaram de ser produzidos nas plataformas P-40 e P-56, devido ao surto de Covid-19 desde o dia 15 de março.

"Na Bacia de Campos estamos passando por mais um surto de Covid em várias plataformas... Infelizmente tivemos hoje... um trabalhador que faleceu", disse Bezerra.

"A Covid está descontrolada no Brasil, inclusive nas plataformas de produção. Já pedimos para a Petrobras redução das atividades de produção", disse Bezerra.

Nesta semana, o sindicato pediu ao Ministério Público do Trabalho que a Petrobras seja chamada a prestar esclarecimentos sobre o avanço da Covid-19 em plataformas de óleo e gás, segundo documento visto pela Reuters.

Mais cedo nesta sexta-feira, a ANP informou que os casos novos de Covid-19 em plataformas de petróleo e gás no Brasil aumentaram para 59, indicando uma tendência de aumento de registros da doença.

No relatório anterior, publicado na quarta-feira, a ANP havia reportado 26 infectados pelo coronavírus.

Além disso, pela média móvel dos últimos 15 dias, o número de casos subiu para 37, versus 30 na publicação anterior.

Os dados da ANP não especificam casos por empresas.

Com as mais recentes ocorrências de Covid-19 em plataformas, há uma reversão de um movimento de queda de casos visto no início do ano nas unidades produtoras, conforme os dados da agência reguladora.

Denúncias recebidas pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) indicam casos de contaminação nas unidades offshore P-43, P-38, P-63, P-25, P-35, de acordo com o requerimento do Sindipetro ao MPT.

A Petrobras vem afirmando que segue protocolos de segurança, mediante os quais isola e desembarca qualquer profissional com sintomas e seus contactantes.

Segundo a Petrobras, desde o início da pandemia foram realizados mais de 650 mil testes para detecção do coronavírus, além da imposição de medidas como "redução do efetivo presencial e ampla adoção do teletrabalho" e "reforço na higienização e distanciamento nas unidades operacionais".

(Por Marta Nogueira)

PUBLICIDADE