PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Brainard, do Fed, defende moeda digital do banco central dos EUA

18/02/2022 16h05

(Reuters) - A diretora do Federal Reserve Lael Brainard defendeu nesta sexta-feira o papel que uma moeda digital do banco central (CBDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos poderia desempenhar no reforço da estabilidade financeira, conforme o uso de stablecoins e criptomoedas cresce e outros países emitem suas próprias CBDCs.

"É essencial que formuladores de política monetária, incluindo o Federal Reserve, planejem o futuro do sistema de pagamentos e considerem toda a gama de opções possíveis para antecipar os benefícios em potencial das novas tecnologias, ao mesmo tempo que protegem a estabilidade", disse Brainard em comentários preparados para o Fórum de Política Monetária dos EUA, em Nova York.

"Uma CBDC dos EUA pode ser uma maneira em potencial de garantir que pessoas em todo o mundo que usam o dólar possam continuar confiando na força e segurança da moeda norte-americana para fazer transações e realizar negócios no sistema financeiro digital."

As autoridades do Fed estão divididas sobre a necessidade de uma CBDC, ainda que muitos outros bancos centrais em todo o mundo estejam avançando nesses planos.

Brainard emergiu como defensora da ideia, embora em seus comentários ela tenha enfatizado a importância de considerar o impacto em potencial de uma moeda digital do banco central dos EUA, em vez de fazer afirmações diretas sobre a necessidade de adotá-la.

"É importante considerar como novas formas de criptoativos e dinheiro digital podem afetar as responsabilidades do Federal Reserve de manter a estabilidade financeira, um sistema de pagamento seguro e eficiente, acesso familiar e empresarial a dinheiro seguro do banco central e pleno emprego e estabilidade de preços", disse ela nesta sexta-feira.

Os defensores de CBDCs dizem que esse tipo de moeda poderia simplificar os sistemas de pagamento, melhorar a inclusão financeira e até reforçar a estabilidade financeira, enquanto outros se preocupam com seus custos, inclusive sobre questões de privacidade.

Em um ponto, os formuladores de política monetária do banco central parecem estar de acordo: o Fed não lançará uma CBDC sem apoio claro da Casa Branca e do Congresso, indicaram as autoridades.

(Por Ann Saphir)