PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Barril do petróleo sobe 6% e bate US$ 139, maior valor em 14 anos

Barril do petróleo chega a US$ 139 - Jon Nazca/Reuters
Barril do petróleo chega a US$ 139 Imagem: Jon Nazca/Reuters

Bozorgmehr Sharafedin e Scott DiSavino

07/03/2022 10h50

Os preços do petróleo subiram para os níveis mais elevados desde 2008 nesta segunda-feira (7), em momento em que os Estados Unidos e os aliados europeus avaliam uma proibição na importação do óleo russo e com os atrasos no potencial retorno do produto iraniano aos mercados globais.

Nos primeiros minutos da negociação, o petróleo Brent atingiu US$ 139,13 e o barril negociado nos EUA bateu US$ 130,50, sendo que ambas as marcas de referência atingiram os seus níveis mais elevados desde julho de 2008.

Por volta 9h15, os preços tinham diminuído alguns desses ganhos, com o Brent ainda subindo cerca de 6%, para US$ 126 por barril, e o WTI avançando na mesma proporção, a US$ 123.

Sanções à Rússia

Os EUA e os aliados europeus estão avaliando a possibilidade de proibição das importações de petróleo russo, disse o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, no domingo, e a Casa Branca coordenou com as principais comissões do Congresso, avançando com a sua própria proibição.

Analistas do Bank of America disseram que, se a maior parte das exportações de petróleo da Rússia fosse cortada, poderia haver um déficit de 5 milhões de barris por dia (bpd) ou mais, e isso significa que os preços do petróleo poderiam atingir US$ 200.

Os analistas da JP Morgan disseram que o petróleo poderia subir para US$ 185 este ano e os analistas da Mitsubishi UFJ Financial Group Inc (MUFG) disseram que o petróleo pode subir para US$ 180 e causar uma recessão global.

"Se o aperto da oferta não diminuir, o petróleo pode exceder muito o seu nível recorde", disse Howie Lee, economista do banco OCBC, de Cingapura.

Rússia, principal exportador de petróleo

A Rússia é o principal exportador mundial de petróleo e produtos petrolíferos combinados, com exportações de cerca de 7 milhões de bpd, ou 7% do fornecimento global. Alguns volumes das exportações de petróleo do Cazaquistão a partir de portos russos também enfrentariam complicações.

Enquanto isso, as negociações para reviver o acordo nuclear de 2015 do Irã com as potências mundiais estiveram emaranhadas em incertezas no domingo, após as exigências da Rússia por uma garantia dos EUA de que as sanções que enfrenta pelo conflito na Ucrânia não prejudicarão seu comércio com Teerã.