PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Minério de ferro cai para mínima de oito meses com cenário sombrio na China

14/07/2022 08h33

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro caíram nesta quinta-feira, com a referência em Cingapura negociada abaixo de 100 dólares, o menor nível em oito meses, diante do aumento dos temores de que a demanda pelo ingrediente siderúrgico na China permanecerá deprimida no curto prazo.

O contrato de minério de ferro para agosto na Bolsa de Cingapura caiu 8,2%, para 99,90 dólares a tonelada, o nível mais fraco desde novembro passado.

"Os preços do minério de ferro continuam vulneráveis ao risco de queda no curto prazo", disse Daniel Hynes, estrategista sênior de commodities do ANZ. "A demanda de aço mais fraca do setor de construção na China é um grande obstáculo para o preço do minério de ferro".

Na Dalian Commodity Exchange da China, o contrato de minério de ferro mais negociado para setembro encerrou as negociações em queda de 2,6%, a 695,50 iuanes (103,21 dólares) a tonelada.

Várias usinas siderúrgicas na China, maior produtora mundial de aço, desativaram suas instalações de produção ou as colocaram em manutenção mais cedo do que o normal para amenizar o impacto da fraca demanda e altos estoques.

É incerto quando esses altos-fornos seriam reiniciados, pois as usinas enfrentam mais dificuldades, em meio às restrições da Covid-19 e ao mau tempo.

A produção média diária de aço bruto entre as usinas membros da Associação de Ferro e Aço da China diminuiu no início de julho. Entre os dias 1º e 10, houve retração de 1,2%, ou 24.300 toneladas, em relação ao verificados nos últimos 10 dias de junho, para 2,07 milhões de toneladas, informou a consultoria Mysteel.

Já na comparação anual, a produção diária no início de julho foi 2,9% menor, disse.

Como a China mantém sua estratégia de zero Covid, as conversas sobre um enorme pacote de estímulo fiscal supostamente planejado pelo governo para fortalecer a economia não conseguiram animar o sentimento do mercado.

(Por Enrico Dela Cruz em Manila)