IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Vinte petroleiros esperam para cruzar o Estreito de Bósforo, em Istambul

09/12/2022 08h50

ISTAMBUL (Reuters) - Chegou a 20 na sexta-feira o número de navios-tanque esperando no Mar Negro para passar pelo Estreito de Bósforo, em Istambul, a caminho do Mediterrâneo, disse a agência marítima de Tribeca, em meio a negociações para dispersar o acúmulo.

Na quinta-feira, descartando a pressão do exterior sobre o aumento da fila, a autoridade marítima da Turquia disse que continuaria a manter fora de suas águas os petroleiros que não tivessem cartas de seguro apropriadas e que precisava de tempo para verificações.

Oito navios-tanque também aguardavam passagem pelo estreito de Dardanelos para o Mediterrâneo, ante nove no dia anterior, disse Tribeca, perfazendo um total de 28 navios-tanque aguardando passagem para o sul.

O grupo de nações do G7, a União Europeia e a Austrália concordaram em impedir que provedores de serviços de transporte marítimo, como seguradoras, ajudem a exportar petróleo russo, a menos que seja vendido a um limite de preço baixo, com o objetivo de privar Moscou das receitas de guerra.

Em um telefonema na quarta-feira, o vice-secretário do Tesouro dos EUA, Wally Adeyemo, disse ao vice-ministro das Relações Exteriores da Turquia, Sedat Onal, que o limite se aplica apenas ao petróleo russo e não exige verificações adicionais nos navios que cruzam as águas territoriais turcas, disse o Departamento do Tesouro dos EUA.

No entanto, a Turquia tem uma medida separada em vigor desde o início do mês, o que está causando um impasse. O país exige que os navios forneçam prova de seguro que cubra a duração de seu trânsito pelo estreito de Bósforo ou quando fizerem escala em portos turcos.

A diretoria-geral de assuntos marítimos de Ancara disse que era inaceitável pressionar a Turquia sobre o que disse serem verificações de seguro "rotineiras".

Disse ainda que poderia remover navios-tanque sem documentação adequada de suas águas ou exigir que eles forneçam novas cartas de seguro P&I (Proteção e Indenização) cobrindo suas viagens por seu território.

(Por Daren Butler e Can Sezer)