IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Vendas no varejo dos EUA caem mais que o esperado em março

14/04/2023 09h51

WASHINGTON (Reuters) - As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram mais do que o esperado em março, uma vez que os consumidores reduziram as compras de veículos motorizados e outros itens caros, sugerindo que a economia estava perdendo força no final do primeiro trimestre por causa das taxas de juros mais altas.

As vendas no varejo caíram 1,0% no mês passado, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira. Os dados de fevereiro foram revisados para mostrar queda de 0,2%, em vez de 0,4% relatado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam retração de 0,4% nas vendas em março, com estimativas variando de ganho de 0,3% a queda de 1,5%.

As vendas no varejo são principalmente de mercadorias, que normalmente são compradas a crédito e não são ajustadas pela inflação. A segunda queda mensal consecutiva seguiu-se a um forte aumento em janeiro.

Economistas disseram que as mudanças nos padrões de gastos no final e no início do ano, bem como os preços mais altos, dificultaram a leitura clara dos dados.

Não há consenso de que um aperto nas condições de crédito em março, após a falência de dois bancos regionais, tenha impactado as vendas no varejo, embora dados do Citi Credit Cards mostrem uma queda nos gastos do varejo durante o mês.

A retração nas vendas no varejo é atribuída principalmente à campanha de aumento da taxa de juros do Federal Reserve, que está desacelerando a inflação ao esfriar a demanda doméstica. Relatórios da semana passada mostraram crescimento do emprego e desaceleração da atividade do setor de serviços em março, enquanto a manufatura continuou a cair.

Ainda assim, a economia não está desacelerando rápido o suficiente para impedir que o banco central dos EUA aumente os juros mais uma vez em maio, antes de uma pausa esperada em junho no ciclo de aperto monetário mais rápido do Fed desde a década de 1980.

O Fed elevou sua taxa básica de juros em 475 pontos-base desde março passado, do nível próximo a zero para a faixa atual de 4,75% a 5,00%.

Excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços de alimentação, as vendas no varejo recuaram 0,3% no mês passado. Esse chamado núcleo das vendas no varejo aumentaram 0,5% em fevereiro.

Esse dado corresponde mais de perto ao componente de gastos do consumidor do Produto Interno Bruto.

(Reportagem de Lucia Mutikani)