IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Ibovespa engata 4ª alta seguida em dia com salto de Natura&Co

09/05/2023 17h48

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta pelo quarto pregão seguido nesta terça-feira, dia que teve Natura&Co disparando 15% e capitaneando os ganhos após resultado operacional do primeiro trimestre.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,01%, a 107.113,66 pontos. O volume financeiro somou 22 bilhões de reais.

Leandro De Checchi, analista de investimentos da XP, destacou que a alta no pregão local ocorreu mesmo após a ata da última decisão de política monetária do Banco Central reiterar a preocupação com a inflação e não trazer sinalização sobre corte na Selic.

De Checchi avalia que o tom mais positivo na bolsa pode estar relacionado a expectativas com o novo arcabouço fiscal, que, mesmo precisando de ajustes e melhorias, representa uma medida para refrear o risco de descontrole fiscal.

Em Brasília, assessoria do deputado Cláudio Cajado (PP-BA), o relator do arcabouço fiscal, disse que ele deve apresentar o texto do novo marco fiscal até a quinta-feira e que expectativa é de que a votação na Câmara ocorra na segunda quinzena de maio.

Na ata do Copom, divulgada antes da abertura do mercado, o BC avaliou que a apresentação do arcabouço fiscal pelo governo reduziu a incerteza associada a cenários extremos de crescimento da dívida pública. E destacou que o texto eventualmente aprovado poderá refletir nas projeções para a inflação.

Em Wall Street, o S&P 500 recuou, com agentes financeiros optando por cautela antes da divulgação do índice de preços ao consumidor norte-americano de abril, que pode ajudar nas apostas sobre o juro nos Estados Unidos.

DESTAQUES

- NATURA&CO ON disparou 15,08%, a 12,97 reais, com crescimento de 41,3% do resultado operacional medido pelo Ebitda ajustado no primeiro trimestre, para 841,7 milhões de reais, em relação a um ano antes, com expansão de 3,3 pontos percentuais na margem Ebitda ajustada. A empresa ainda teve prejuízo líquido de 652,4 milhões de reais, mas um pouco abaixo do resultado negativo de 643 milhões sofrido um ano antes. O presidente-executivo da companhia, Fabio Barbosa, disse que 2023 provavelmente será mais um "ano desafiador", mas que os primeiros resultados da Natura&Co dão à empresa a confiança de que a empresa está na direção correta.

- MAGAZINE LUIZA ON avançou 6,98%, a 4,14 reais, e VIA ON subiu 5,05%, a 2,08 reais, em dia positivo para o setor de varejo de forma generalizada. No segmento de vestuário, LOJAS RENNER ON valorizou-se 4,17%, endossada por relatório de analistas do Bank of America elevando a recomendação dos papéis para "compra". No varejo alimentar, ASSAÍ ON ganhou 3,84%.

- TOTVS ON subiu 2,12%, a 27,92 reais, após divulgar lucro líquido consolidado de 99,5 milhões de reais no primeiro trimestre deste ano, alta de 17,1% em comparação com o mesmo período de 2022, com avanço do resultado operacional.

- BRASKEM PNA fechou em alta 3,87%, a 26,28 reais, após uma abertura mais negativa, com o noticiário envolvendo o controle da petroquímica ainda no radar. Mais cedo, a Petrobras, uma das principais acionistas, disse que não está conduzindo nenhuma venda de ativos no mercado privado e negou que esteja discutindo com o fundo Mubadala uma troca de ações da refinaria de Mataripe, na Bahia, por ações da Braskem. Na noite da véspera, a petroquímica também reportou lucro líquido de 184 milhões de reais para o primeiro trimestre, tombo de 95% ano a ano. E, nesta terça-feira, afirmou que vê tendência positiva para os spreads em 2023.

- TIM ON recuou 2,86%, a 13,61 reais, na esteira da divulgação do balanço no primeiro trimestre, que mostrou lucro líquido normalizado, ajustado por fatores não recorrentes, de 437 milhões de reais no primeiro trimestre deste ano, alta de apenas 4,3% ante igual período de 2022. Sem ajustes, o lucro líquido foi de 412 milhões de reais no trimestre, variação positiva de 1,7% ano a ano. No setor, TELEFÔNICA BRASIL ON, que divulga seus balanço após o fechamento do mercado, perdeu 0,53%, a 40,98 reais.

- ELETROBRAS ON fechou em alta de 4,13%, a 34,76 reais, também experimentando um "respiro". As ações e falas do governo de Luiz Inácio Lula da Silva contrárias à privatização da elétrica vêm criando ruído e destruindo valor das ações da companhia, que já acumulam queda de 20% desde o início do ano, em um momento em que a nova administração da empresa persegue uma virada dos negócios e maior eficiência, segundo especialistas do setor elétrico.

- PETROBRAS PN subiu 0,33%, a 24,59 reais, com os preços do petróleo no exterior mostrando melhora na sessão e fechando, no caso do Brent, em alta de 0,6%.

- VALE ON avançou 1,03%, a 70,69 reais, mesmo com o desempenho misto dos contratos futuros de minério de ferro na Ásia. A companhia e a francesa GravitHy também assinaram acordo que visa estudar produção de aço neutro em CO2.

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou com variação positiva de 0,61%, a 26,51 reais, enquanto BRADESCO PN caiu 0,98%, a 15,17 reais.

- HAPVIDA ON recuou 1,37%, a 2,88 reais. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deve julgar na quarta-feira a aquisição pela companhia da operadora de saúde Smile. No final de novembro, a Superintendência-Geral do órgão antitruste recomendou a reprovação da compra.