IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Caso Americanas teve impacto "irrelevante" na solvência do sistema bancário, diz BC

10/05/2023 08h24

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Central afirmou nesta quarta-feira que o teste de estresse realizado devido à crise da varejista Americanas demonstra impacto "irrelevante" na solvência do sistema bancário, que, segundo a autarquia, segue resiliente.

"Em decorrência do caso Americanas, efetuou-se teste de estresse específico considerando eventual default dessa empresa e da rede de fornecedores que dela dependem de forma relevante. O resultado desse teste demonstra impacto irrelevante na solvência do sistema bancário", disse o BC em seu Relatório de Estabilidade Financeira, referente ao segundo semestre de 2022, mas que também citou eventos vividos em 2023.

A Americanas entrou em recuperação judicial após revelar no início deste ano inconsistências contábeis da ordem de 20 bilhões de reais.

Segundo o documento, "análises realizadas pelo BC continuam indicando não haver risco relevante para a estabilidade financeira", em meio a "elevado apetite ao risco" de instituições financeiras, apesar de uma desaceleração do crescimento da oferta de crédito.

Ainda assim, a autarquia apontou que a crise da Americanas provocou aumento no custo do crédito via mercado de capitais e uma postura mais rigorosa das instituições financeiras nas operações de risco sacado. "Considerando esse acontecimento e o ambiente de elevados comprometimento de renda e endividamento das famílias e de redução da capacidade de pagamento das empresas, 2023 inicia acentuando a redução do ritmo de crescimento", afirmou o BC.

"A percepção de desaceleração da economia e de resiliência do sistema financeiro nacional está em linha com a opinião dos agentes do mercado financeiro", acrescentou.

Ao mesmo tempo, a autarquia afirmou que a materialização de risco, embora tenha arrefecido no segundo semestre de 2022, deve permanecer elevada no médio prazo.

"Critérios de concessão mais restritivos em modalidades mais arriscadas refletiram em arrefecimento da materialização de risco no crédito às famílias. Contudo, o crédito contratado por (pessoas físicas) com critérios menos restritivos ainda não se maturou completamente", explicou o Banco Central.

Em linha com o aumento da materialização de risco, as provisões aumentaram e permanecem acima das perdas esperadas, acrescentou a autoridade monetária, o que, por sua vez, fez cair a rentabilidade do sistema bancário.

Segundo o BC, "o sistema bancário permanece com liquidez confortável para manter a estabilidade financeira e o regular funcionamento do sistema de intermediação", enquanto "a base de capital permanece sólida".

O relatório mostrou ainda avaliação da autarquia de que testes de estresse de liquidez indicam que o sistema bancário "mantém ativos líquidos suficientes para absorver potenciais perdas em cenários estressados".