Titãs da tecnologia se reúnem com parlamentares dos EUA; Musk quer "árbitro" para IA

Por David Shepardson e Moira Warburton e Mike Stone

WASHINGTON (Reuters) - O presidente-executivo da Tesla , Elon Musk, pediu nesta quarta-feira por um "árbitro" nos Estados Unidos para a inteligência artificial, após ele e os presidentes da Meta, Mark Zuckerberg, e da Alphabet, Sundar Pichai, se encontrarem com parlamentares no Capitólio, em um fórum a portas fechadas para discutir a regulamentação da IA.

Os parlamentares estão debatendo sobre como mitigar os perigos da tecnologia, que passou por um boom de investimentos e popularidade desde o lançamento do ChatGPT, pela OpenAI.

Musk disse que é necessário um regulador para garantir o uso seguro da IA.

"É importante para nós ter um árbitro", disse Musk a repórteres, comparando a tecnologia aos esportes. O bilionário, que também é dono da plataforma de mídia social X, \nteriormente conhecida como Twitter, acrescentou que um regulador garantiria que as empresas adotassem medidas que fossem seguras e de interesse do público em geral.

Ele acrescentou que a reunião foi um "serviço à humanidade" e afirmou que isso "pode entrar para a história como algo muito importante para o futuro da civilização". Musk confirmou que chamou a IA de "uma faca de dois gumes" durante o fórum.

Zuckerberg disse que o Congresso "deve se engajar com a IA para apoiar inovação e salvaguardas".

"Esta é uma tecnologia emergente, há equidades importantes a serem equilibradas aqui, e o governo é o responsável final por isso", disse.

Ele acrescentou que "é melhor que o padrão seja estabelecido por empresas norte-americanas que podem trabalhar com nosso governo para moldar esses modelos em questões importantes."

Continua após a publicidade

Mais de 60 senadores participaram. Os parlamentares disseram que havia um acordo universal sobre a necessidade de regulamentação governamental da IA, mas não ficou claro quanto tempo isso levaria e como seria.

O senador republicano Mike Rounds disse que levará tempo para o Congresso agir. "Estamos prontos para escrever legislação? Absolutamente não", disse Rounds. "Não estamos lá."

O senador de Nova Jersey, Cory Booker, disse que todos os participantes concordaram que "o governo tem um papel regulatório", mas a criação de legislação será um desafio.

Os parlamentares querem salvaguardas contra deepfakes potencialmente perigosas, interferência eleitoral e ataques à infraestrutura crítica.

Outros participantes esperados incluem os presidentes da Nvidia, Jensen Huang; da Microsoft, Satya Nadella; da IBM, Arvind Krishna; o ex-presidente da Microsoft Bill Gates e a presidente da federação sindical AFL-CIO, Liz Shuler.

Schumer, que conversou sobre a tecnologia com Musk em abril, quer que os participantes falem "sobre os motivos pelos quais o Congresso deve agir, quais perguntas deve fazer e como construir um consenso para uma inovação segura".

Deixe seu comentário

Só para assinantes