CNseg reduzirá projeção de crescimento do setor de seguros em 2023, diz presidente

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) vai revisar levemente para baixo a estimativa de crescimento do setor em 2023, mas elevará a projeção de Produto Interno Bruto (PIB) do país em mais 1 ponto percentual, disse o presidente da entidade, Dyogo Oliveira, à Reuters nesta segunda-feira.

A projeção atual para o setor aponta uma expansão de cerca de 10% neste ano, mas deve ocorrer uma revisão na casa decimal de modo a trazer o segmento para um crescimento de um dígito, segundo Oliveira.

"Vamos rever crescimento do PIB e do setor", disse ele em evento no Rio de Janeiro. "Ainda assim, o setor vai super bem este ano, mesmo com a revisão, que será pequena", acrescentou.

Quanto ao PIB, a CNseg vai rever para cima a projeção de crescimento da economia brasileira em 2023 para 3,2%, ante 2,1% anteriormente, de acordo com ele.

No primeiro semestre, o setor de seguros mostrou uma expansão de 7,7% ante igual período de 2022, e movimentou 181,7 bilhões de reais, segundo a CNseg.

A maioria dos segmentos avançou na casa do dois dígitos, mas o setor de previdência rodou num ritmo inferior. O presidente da CNseg atribuiu essa rotação menor a questões econômicas

"Cresce menos por conta do endividamento das famílias, em certa medida por conta de programas de renegociação de dívidas que puxam o dinheiro para pagar as dívidas atrasadas", afirmou. "A economia está retomando, juros e inflação começaram a cair, mas não está sobrando dinheiro para poupar. A acumulação não tem performado no ritmo esperado", afirmou.

Para 2024, as perspectivas são positivas, segundo ele, com sinais de melhoras econômicas que devem ajudar o segmento de previdência -- cerca de 30% do setor. "O ambiente econômico por dois anos positivo deve ajudar", disse.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Deixe seu comentário

Só para assinantes