EDP vê 4º tri forte e eleva previsão de lucro

Por Sergio Goncalves

LISBOA (Reuters) - A companhia portuguesa de energia EDP melhorou sua previsão de lucro para o ano inteiro nesta sexta-feira, esperando manter um forte desempenho no quarto trimestre com uma recuperação contínua na geração hidrelétrica e ganhos adicionais com a rotação de ativos.

A empresa agora espera que seu lucro recorrente termine o ano entre 1,2 bilhão de euros (1,29 bilhão de dólares) e 1,3 bilhão de euros, acima dos 1,1 bilhão de euros estimados anteriormente.

A EDP divulgou na quinta-feira um salto de 83% no lucro líquido dos nove meses de 2023, para 946 milhões de euros, com o lucro recorrente dobrando para cerca de 1,03 bilhão de euros, graças à maior produção hidrelétrica na Península Ibérica e à contabilização de mais ganhos da unidade brasileira após a aquisição de 100% de seu capital.

Este foi o primeiro trimestre em que a companhia portuguesa consolidou totalmente a EDP Brasil depois de fechar capital da subsidiária, em operação de cerca de 1 bilhão de euros para compra de participação de minoritários realizada neste ano que visava simplificar sua estrutura empresarial e acelerar o crescimento dos negócios no Brasil.

As ações da EDP subiram 3,25% nesta sexta-feira, com base nos resultados e na melhoria das perspectivas.

Os ganhos com a atividade de rotação de ativos renováveis -- na qual a EDP vende usinas renováveis mais antigas, captura valor e investe em novos ativos com maior valor agregado -- cresceram 38%, para 393 milhões de euros, e também ajudaram os resultados.

O CEO Miguel Stilwell afirmou que a EDP registrou "resultados sólidos e tem perspectivas positivas para o quarto trimestre, impulsionados pela recuperação na Península Ibérica e pela execução da rotação de ativos melhor do que o esperado", o que deve continuar a mais do que compensar o impacto do aumento das taxas de juros e da inflação.

"Estamos muito confiantes para o restante de 2023... também apoiados por uma melhor perspectiva do mercado de energia", disse ele em teleconferência.

Continua após a publicidade

Ele disse que, após uma severa seca no ano passado, suas represas em Portugal estavam agora 70% cheias, 16 pontos percentuais acima da média e em um máximo de 10 anos para esta época do ano.

Já no Brasil, a companhia portuguesa disse enxergar um fluxo de notícias positivas na área macroeconômica (juros e câmbio) e em assuntos do regulatórios do setor elétrico, a exemplo do novo ciclo tarifário na distribuidora do grupo em São Paulo e do processo para prorrogação das concessões de distribuição por mais 30 anos.

A EDP destacou ainda como positiva a assinatura da venda de 80% de sua fatia na termelétrica de Pecém, usina de 720 megawatts (MW) movida a carvão mineral, em movimento alinhado à sua estratégia de abandonar a fonte de energia poluente até 2025.

(Reportagem de Sergio Gonçalves)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes