Vibra tem lucro líquido de R$1,26 bi no 3° tri após prejuízo um ano antes

SÃO PAULO (Reuters) - A Vibra registrou lucro líquido de 1,26 bilhão de reais no terceiro trimestre, revertendo prejuízo de 61 milhões de reais no mesmo período do ano anterior, disse a distribuidora de combustíveis nesta segunda-feira, citando melhores resultados operacional, financeiro e a venda da ESgás.

Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 881,1 milhões de reais, conforme dados da LSEG.

A Vibra disse que a dinâmica de mercado no terceiro trimestre, com os preços dos combustíveis em alta e redução da competitividade dos produtos importados, possibilitou à empresa alavancar os resultados, aumentando margem e reduzindo dívida.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 2,33 bilhões de reais no trimestre, aumento 154,7% na comparação ano a ano. A margem Ebitda ajustada saltou de 89 para 248 reais por metro cúbico.

O avanço do lucro veio apesar de queda na receita líquida ajustada para 43,2 bilhões de reais no trimestre, 15,3% menor ante a mesma etapa do ano anterior.

O volume de vendas recuou 8,7% ano a ano, para 9,4 milhões de metros cúbicos, com destaque para as menores vendas de diesel (-9,2%), gasolina (-10,3%), combustível para aviação (-6,2%) e coque (-35,5%), em movimento atenuado pelo aumento na comercialização de etanol (+1,6%).

"Entendemos que essa dinâmica de redução de volumes é oriunda de nossa estratégia de segmentação de mercado e que, ao longo do tempo, deverá ser normalizada em patamares superiores aos atuais, recuperando o 'market-share' usual da Vibra", disse a empresa em relatório de resultados.

Na comparação trimestral, contudo, o volume de vendas subiu 4,3%.

As despesas operacionais ajustadas, que excluem efeitos de hedge de commodities, créditos de descarbonização, recuperações tributárias não recorrentes e venda de imóveis, somaram 709 milhões de reais, alta de 14,4% frente aos meses de julho a setembro de 2022, em função, principalmente, de reversões de provisões ocorridas naquele período, disse a Vibra.

Continua após a publicidade

A Vibra concluiu no início de julho a venda da Companhia de Gás do Espírito Santo (ESgás), distribuidora de gás natural, para a Energisa.

(Por André Romani e Patrícia Vilas Boas)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes