Cook, do Fed, diz que as tensões geopolíticas podem mudar perspectivas econômicas dos EUA

Por Padraic Halpin e Conor Humphries

(Reuters) - O aumento das tensões geopolíticas em todo o mundo pode agravar o crescimento já fraco na Europa e na China, e as repercussões podem alterar a trajetória da economia dos Estados Unidos, disse a diretora do Federal Reserve Lisa Cook nesta quarta-feira.

"Claramente, o que acontece no resto do mundo afeta os EUA e, no momento, o crescimento econômico está bastante fraco entre nossos principais parceiros comerciais", disse Cook durante um painel de discussão em uma conferência organizada pelo Banco Central da Irlanda em Dublin.

"Não estamos apenas observando crescimento moderado, estamos observando as tensões geopolíticas sobre as quais todos nós estamos falando, e isso pode mudar as perspectivas tanto nos Estados Unidos quanto na economia global."

Cook acrescentou que as tensões geopolíticas podem, em particular, desestabilizar os mercados de commodities e o acesso ao crédito no atual ambiente de taxas de juros mais altas.

"Qualquer choque pode piorar a situação em que já estamos... e pode ser desestabilizador para os mercados de commodities, pode ser desestabilizador para o sistema de crédito", disse Cook. "Estamos observando e esperando. Estamos atentos."

Os comentários de Cook foram feitos após um discurso no qual ela descreveu com mais detalhes vários riscos internacionais, incluindo conflitos na Ucrânia e no Oriente Médio, bem como pressões inflacionárias persistentes no exterior e uma nova desaceleração econômica na China, que, segundo ela, poderiam ameaçar a estabilidade financeira global.

Ela não detalhou sua opinião sobre as perspectivas econômicas dos EUA nem comentou sobre a taxa de juros do Fed, nem deu uma ideia da probabilidade de qualquer um desses riscos potenciais se tornar realidade.

A maior parte de seu discurso foi uma repetição do discurso de segunda-feira, no qual ela descreveu um setor financeiro amplamente resiliente que está em melhor forma do que em meados da década de 2000, embora sujeito a alguns riscos, inclusive de instituições financeiras não bancárias e de um declínio nos valores de imóveis comerciais, e um setor doméstico amplamente forte, embora com algumas tensões aumentando entre aqueles com pontuações de crédito mais baixas.

Continua após a publicidade

Mas, em uma seção adicional, Cook delineou recentemente vários riscos do exterior, incluindo o potencial para aumentos inesperados da taxa de juros se as pressões inflacionárias persistirem, repercussões internacionais se a desaceleração econômica da China piorar e o potencial para que as tensões crescentes na Rússia, no Oriente Médio e na China gerem riscos para os mercados globais.

"De forma mais ampla, a escalada das tensões geopolíticas pode levar a uma menor atividade econômica e a uma maior fragmentação dos fluxos de comércio global e da intermediação financeira, aumentando os custos de financiamento e produção e contribuindo para desafios mais sustentados na cadeia de suprimentos e pressões inflacionárias", disse Cook.

(Reportagem de Padraic Halpin e Conor Humphries em Dublin, Ann Saphir em San Francisco)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes