Ações europeias caem frente ao maior nível em 3 semanas após Powell eliminar esperanças de pico dos juros

Por Ankika Biswas e Bansari Mayur Kamdar

(Reuters) - As ações europeias caíram nesta sexta-feira, prejudicadas pelos rendimentos mais altos dos títulos, uma vez que os comentários "hawkish" (agressivos contra a inflação) do chair do Federal Reserve esfriaram o otimismo dos investidores em relação a um pico na taxa de juros, enquanto resultados sombrios da Diageo e da Richemont também pesaram.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 1,00%, a 443,31 pontos, em baixa em relação ao maior nível em três semanas atingido na quinta-feira, e encerrando a semana marginalmente em baixa.

Os setores de recursos básicos e imobiliário tiveram o pior desempenho semanal, enquanto os setores industrial e de mídia foram o foco da onda de compras dos investidores.

Na quinta-feira, autoridades do Fed, incluindo o chair Jerome Powell, expressaram incertezas em sua batalha contra a inflação e acrescentaram que, se necessário, restringiriam ainda mais a política monetária.

"Os mercados estão meio que se concentrando na mensagem mais 'hawkish' (agressiva contra a inflação) de Powell, mas ele apenas enfatizou que poderia haver mais aumentos, nada diferente do que ele já disse antes", disse Giles Coghlan, analista-chefe de mercado da corretora GCFX.

A inflação da zona do euro pode aumentar nos próximos meses, mas a manutenção das taxas de juros do Banco Central Europeu em seu nível atual, pelo menos por vários trimestres, ainda pode levar o crescimento dos preços de volta a 2%, disse a presidente do BCE, Christine Lagarde.

Os comentários seguem os de outras autoridades de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra, que recentemente também contestaram as expectativas de cortes nas taxas de juros.

Em relação aos balanços, a Diageo tombou 12,2%, já que a fabricante do uísque Johnnie Walker espera que o crescimento do lucro operacional orgânico diminua no primeiro semestre de seu atual ano fiscal, o que arrastou o índice do setor de alimentos e bebidas para uma queda de quase 3,1%.

Continua após a publicidade

A Richemont caiu 5,2% depois que o grupo suíço de luxo divulgou balanços mais fracos do que o esperado, o que pressionou as concorrentes LVMH, Kering e Hermes para baixas entre 1,6% e 3,8%.

O setor de luxo caiu 2,6%.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 1,28%, a 7.360,55 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,77%, a 15.234,39 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,96%, a 7.045,04 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,49%, a 28.504,43 pontos.

Continua após a publicidade

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,36%, a 9.371,70 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,27%, a 6.251,24 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora