Perspectiva econômica dos EUA se fortalece, mas progresso da inflação é instável, aponta pesquisa do Fed

(Reuters) - As perspectivas econômicas dos Estados Unidos melhoraram ligeiramente e uma medida importante da inflação deve continuar sua tendência de queda, segundo uma pesquisa do Federal Reserve da Filadélfia com profissionais de previsão econômica, divulgada nesta segunda-feira.

A previsão é de que o Produto Interno Bruto real cresça a uma taxa anual de 1,3% neste trimestre, um aumento de 0,1 ponto percentual em relação à última pesquisa, realizada há três meses, e que a taxa anual suba para 1,7% no final de 2024.

A última leitura preliminar do Fed da Filadélfia das opiniões de 34 importantes analistas econômicos também revelou que eles projetam avanços na batalha do banco central dos EUA para trazer a inflação de volta à sua meta de 2%, embora o progresso seja instável.

Por exemplo, a inflação do Índice de preços ao consumidor norte-americano do trimestre atual terá uma média anual de 3,3%, acima dos 2,9% registrados na última pesquisa, mas cairá para um nível abaixo das estimativas anteriores no terceiro trimestre do próximo ano.

Da mesma forma, eles preveem que a inflação do índice PCE neste trimestre será de 2,9% em uma taxa anual, ligeiramente acima dos 2,8% anteriores, mas com uma queda semelhante abaixo das estimativas anteriores até o terceiro trimestre de 2024.

Em uma notícia muito melhor para o Fed, analistas veem um progresso mais direto nas chamadas medidas básicas para a inflação do índice de preços ao consumidor norte-americano e do índice PCE, que eliminam os componentes mais voláteis de alimentos e energia.

O núcleo do índice de preços ao consumidor deve cair para 3,0% neste trimestre, em base anual, ante 3,2% na época da última pesquisa, enquanto o núcleo do índice PCE deve cair para 2,7% neste trimestre, ante 2,8% anteriormente. Até o final de 2024, o núcleo do índice de preços ao consumidor deverá estar em 2,3% em uma taxa anual e o núcleo do PCE em 2,2%.

Analistas esperam apenas um pequeno aumento no desemprego, apesar do ciclo de aperto monetário mais agressivo do Fed em uma geração. Eles veem a taxa de desemprego em 3,9% neste trimestre, um aumento de 0,2% pontos percentuais em relação à estimativa anterior. Em seguida, eles esperam que ela suba para 4,2% até o final do próximo ano.

(Por Lindsay Dunsmuir)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes