Minério de ferro de Dalian cai com intervenção da China para controlar preços

CINGAPURA (Reuters) - Os contratos futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian caíram nesta quinta-feira, com a intervenção das autoridades chinesas para controlar a alta dos preços e com os dados fracos do setor imobiliário, que alimentaram preocupações sobre a demanda do principal setor consumidor de aço.

O minério de ferro mais negociado para janeiro na Dalian Commodity Exchange (DCE) da China fechou em queda de 1,5%, a 956 iuanes (131,77 dólares) por tonelada, depois de subir 1% na sessão anterior.

Na Bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência para dezembro subiu 0,1%, a 130,04 dólares por tonelada.

"O recente aumento dos preços do minério de ferro, impulsionado pelo sentimento, chamou a atenção das autoridades chinesas", disse Atilla Widnell, diretor administrativo da Navigate Commodities.

"A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) está investigando o que eles consideram ser preços 'excessivamente altos', e Dalian ajustou os limites de negociação de futuros de minério de ferro."

Na quarta-feira, a DCE estabeleceu um limite para os volumes diários de negociação de futuros de minério de ferro em não mais do que 500 lotes em contratos para entrega de janeiro a maio de 2024.

Atilla disse que "o choque baixista deve ser apenas temporário, com os investidores otimistas aproveitando a oportunidade para comprar as baixas".

Os preços das casas novas na China caíram pelo quarto mês em outubro, segundo dados oficiais, já que as medidas de apoio do governo pouco fizeram para dissipar o desânimo que paira sobre os consumidores do país e o setor imobiliário, que está sobrecarregado de dívidas.

A produção de aço bruto também caiu pelo quarto mês consecutivo em outubro, segundo dados divulgados na quarta-feira, uma vez que mais usinas implementaram a manutenção de fornos em meio à redução das margens e à demanda decepcionante na temporada de pico de consumo.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Ashley Fang)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes