Sony enfrenta processo de US$7,9 bi sobre preços da PlayStation Store

Por Sam Tobin

LONDRES (Reuters) - A Sony deve enfrentar um processo no valor de até 6,3 bilhões de libras (7,9 bilhões de dólares) por alegações de que a fabricante do PlayStation abusou de sua posição dominante, levando a preços injustos para os clientes, decidiu um tribunal de Londres nesta terça-feira.

A Sony Interactive Entertainment (SIE) foi processada no ano passado em nome de quase nove milhões de pessoas no Reino Unido que compraram jogos digitais ou conteúdo complementar através da PlayStation Store da Sony.

Alex Neill, defensor do consumidor que trabalhou em campanhas anteriores, está abrindo o processo contra a Sony. Ela diz que a empresa abusou de sua posição dominante ao exigir que jogos digitais e complementos fossem comprados e vendidos apenas através da PlayStation Store, que cobra uma comissão de 30% de desenvolvedores e publishers.

A alegação argumenta que os clientes pagaram preços mais altos por jogos e conteúdo complementar do que teriam pago.

Os advogados da Sony afirmaram que o caso era “falho do início ao fim” e disseram que deveria ser arquivado.

O Tribunal de Apelação da Concorrência decidiu que o caso de Neill poderia continuar, embora tenha dito que as pessoas que fizeram compras na PlayStation Store depois que o caso foi aberto em 2022 deveriam ser removidas da classe de reclamantes proposta.

Neill disse em comunicado que a decisão desta terça-feira foi “o primeiro passo para garantir que os consumidores recebam de volta o que lhes é devido”. A Sony não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes