Auren e Vivo se unem para vender energia a pequenas empresas no mercado livre

SÃO PAULO (Reuters) - A geradora de energia Auren e a empresa de telecomunicações Vivo fecharam um acordo para criação de uma joint-venture focada na comercialização de energia elétrica para o mercado livre, mirando a liberalização que ocorrerá para consumidores de menor porte nos próximos anos.

O negócio irá reunir a experiência da Auren no setor elétrico e a capacidade da Vivo na distribuição em escala e oferta de serviços digitais, destacaram as empresas em comunicado divulgado na noite de segunda-feira.

A joint venture, na qual cada empresa terá 50% de participação societária, prevê atuar no chamado mercado "varejista" do setor elétrico, que inclui pequenas e médias empresas com demanda por energia inferior à 500 kW.

Consumidores desse porte ligados em alta tensão poderão migrar ao mercado livre já em 2024, garantindo economias de até 35% frente aos valores pagos pela energia no mercado cativo, atendido pelas distribuidoras.

"O potencial mercado de atuação da operação é estimado em cerca de 72 mil empresas, entre fábricas, escritórios e estabelecimentos comerciais", disseram as empresas, acrescentando que irão se preparar para atuar no segmento de baixa tensão e residencial quando houver liberalização total do mercado.

A conclusão da operação está sujeita à obtenção das autorizações antitruste.

(Por Letícia Fucuchima)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes