Dólar ronda estabilidade com expectativa por relatório de emprego dos EUA

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar tinha pouca alteração frente ao real nesta quinta-feira, com o mercado à espera de um importante relatório de emprego dos Estados Unidos depois que a ata da última reunião do Federal Reserve emitiu sinais mistos.

Às 10:36 (horário de Brasília), o dólar à vista avançava 0,01%, a 4,9171 reais na venda.

Na B3, às 10:36 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,06%, a 4,9355 reais.

A ata do Fed, divulgada na quarta-feira, mostrou que as autoridades monetárias estão cada vez mais convencidas de que a inflação está ficando sob controle, com a diminuição de "riscos altistas" de inflação, em meio a crescente preocupação com os danos que uma política monetária "excessivamente restritiva" possam causar à economia dos Estados Unidos.

Por outro lado, o documento não esclareceu quando os cortes nos juros podem começar, e as autoridades observaram "um grau excepcionalmente elevado de incerteza" sobre as perspectivas, com a possibilidade de novos aumentos nos custos de empréstimos.

"Os dirigentes ratificaram a tendência de juros perto do pico, que seria o atual patamar por um período prolongado, e com isso o dólar deu uma leve estressada, mas logo já retornou e hoje a gente está vendo arrefecimento frente às outras moedas", disse Márcio Riauba, gerente da mesa de operações da StoneX.

"A expectativa do mercado depois da ata de ontem será referente ao 'payroll' que será divulgado amanhã; isso com certeza vai dar uma mexida forte no mercado de câmbio", disse ele.

Os dados de criação de vagas de trabalho fora do setor agrícola de dezembro, agendados para sexta-feira, devem mostrar a abertura de 170 mil postos, segundo expectativa em pesquisa da Reuters.

Continua após a publicidade

Nesta quinta, dados da ADP mostraram a criação de 164 mil postos de trabalho no setor privado dos EUA, leitura acima do esperado. Economistas sempre ressaltam que os números da ADP não são bom previsores do relatório de emprego do governo norte-americano devido a diferenças de metodologia.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de pares fortes alternava estabilidade e leve alta.

Em segundo plano nesta quinta-feira ficavam dados melhores do que o esperado da China, com o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do país subindo em dezembro.

Também estavam no radar as tensões renovadas entre Israel e Hamas após um ataque israelense em Beirute que matou o vice-líder do grupo militante islâmico.

Na véspera, a moeda norte-americana à vista teve variação positiva de 0,01%, a 4,9165 reais na venda.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes