Petróleo cai mais de 3% por cortes de preços pela Arábia Saudita e dúvidas sobre demanda

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram mais de 3% nesta segunda-feira devido a fortes cortes de preços pela Arábia Saudita, principal exportadora, e a um aumento na produção da Opep que compensou as preocupações com a oferta geradas pela escalada da tensão geopolítica no Oriente Médio.

O petróleo Brent fechou em queda de 2,64 dólares, ou 3,4%, a 76,12 dólares o barril, enquanto o petróleo West Texas Intermediate dos Estados Unidos perdeu 3,04 dólares, ou 4,1%, a 70,77 dólares o barril.

Ambos os contratos subiram mais de 2% na primeira semana de 2024, à medida que o risco geopolítico no Médio Oriente se intensificava após os ataques dos houthis do Iêmen a navios no Mar Vermelho.

No domingo, o aumento da oferta e a concorrência de produtores rivais levaram a Arábia Saudita a reduzir o preço de venda oficial (OSP) de fevereiro do seu principal petróleo Arab Light para a Ásia para o nível mais baixo em 27 meses.

"Isso está levantando preocupações sobre a demanda na China e também sobre a demanda global", disse Phil Flynn, analista do Price Futures Group.

Uma pesquisa da Reuters na sexta-feira concluiu que a produção de petróleo da Opep subiu em dezembro, à medida que os aumentos em Angola, Iraque e Nigéria compensaram os cortes contínuos da Arábia Saudita e de outros membros da aliança mais ampla Opep+.

O impulso veio antes de novos cortes da Opep+ em 2024 e da saída de Angola da Opep a partir deste ano, fatores que deverão reduzir a produção e a quota de mercado em janeiro.

(Reportagem de Stephanie Kelly em Nova York; reportagem adicional de Natalie Grover e Noah Browning em Londres, Mohi Narayan em Nova Delhi e Florence Tan em Cingapura)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes