Aporte da Microsoft na OpenAI pode enfrentar investigação de fusão na UE, diz regulador

Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) - O apoio financeiro da Microsoft à OpenAI, fabricante do ChatGPT, pode estar sujeito às regras de fusão da União Europeia, disseram os reguladores antitruste da UE nesta terça-feira, reiterando um aviso semelhante feito por outro órgão da área no Reino Unido, em dezembro.

A gigante de software dos EUA, que no ano passado se comprometeu a investir mais de 10 bilhões de dólares na OpenAI, com uma posição sem direito a voto no conselho, disse que não possui nenhuma parcela da OpenAI.

A Comissão Europeia já havia dito que estava acompanhando de perto os acontecimentos.

“A Comissão Europeia está verificando se o investimento da Microsoft na OpenAI pode ser revisado sob o Regulamento de Fusões da UE”, disse em comunicado o órgão que atua como fiscalizador da concorrência da União Europeia.

O comunicado indicou ainda que alguns acordos entre grandes participantes do mercado digital e criadores e fornecedores de IA generativa estavam sendo investigados pelo seu impacto na dinâmica do mercado. As empresas não foram citadas.

A Comissão Europeia também deu às partes interessadas até 11 de março para fornecer um retorno sobre a concorrência em mundos virtuais e em inteligência artificial generativa.

Além disso, enviou pedidos de informação a diversas grandes empresas digitais sobre os dois temas.

“Estamos convidando empresas e especialistas a nos informarem sobre quaisquer problemas de concorrência que possam perceber nessas indústrias, ao mesmo tempo em que monitoram de perto as parcerias de IA para garantir que não distorçam indevidamente a dinâmica do mercado”, disse a chefe antitruste da UE, Margrethe Vestager.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Foo Yun Chee)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes