Petróleo sobe 2% com conflito no Oriente Médio e parada de campo na Líbia

Por Nicole Jao

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram cerca de 2% nesta terça-feira, à medida que a crise no Oriente Médio e uma interrupção no fornecimento na Líbia reduziram as pesadas perdas do dia anterior.

Os futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 1,47 dólar, ou 1,9%, a 77,59 dólares por barril, enquanto o petróleo West Texas Intermediate dos Estados Unidos (WTI) encerrou com alta de 1,47 dólar, ou 2,1%, a 72,24 dólares.

Os preços obtiveram apoio de paralisação do campo petrolífero de Sharara, com capacidade de 300.000 barris por dia (bpd), na Líbia, um dos maiores, que tem sido alvo frequente de protestos políticos locais e mais amplos, e de tensões no Médio Oriente.

Os militares israelitas afirmaram que a sua luta contra o Hamas continuará ao longo de 2024, alimentando preocupações de que o conflito possa evoluir para uma crise regional que prejudique o fornecimento de petróleo.

Entretanto, algumas grandes companhias marítimas continuam a evitar o Mar Vermelho na sequência de ataques de militantes houthi, alinhados com o Irã, em resposta à guerra de Israel contra o Hamas. No entanto, o impacto nos movimentos dos petroleiros foi menor do que o esperado, segundo uma análise da Reuters.

"A alternativa mais atraente para (os petroleiros) neste momento é correr para os Estados Unidos, onde o petróleo é mais barato que o Brent", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho.

O Brent e o WTI registraram perdas de 3% e 4%, respectivamente, na segunda-feira, após cortes acentuados nos preços de venda oficiais (OSP) da Arábia Saudita, suscitando preocupações tanto na oferta como na procura.

(Reportagem de Nicole Jao em Nova York, Robert Harvey em Londres, Arathy Somasekhar em Houston e Emily Chow em Cingapura)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes