Ações da China têm mínima em quase cinco anos em meio a sentimento fraco

Por Summer Zhen

HONG KONG (Reuters) - As ações da China recuaram novamente nesta quarta-feira, atingindo o menor valor desde fevereiro de 2019, enquanto as ações de Hong Kong registraram uma sequência de sete dias de perdas, já que a ausência de catalisadores manteve o sentimento dos investidores em baixa.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com queda de 0,47%, e o índice de Xangai perdeu 0,54%. O índice Hang Seng, de Hong Kong, teve recuo de 0,57%.

Na Ásia, as ações japonesas atingiram um pico de quase 34 anos, enquanto outros mercados oscilaram em torno das mínimas de um mês, antes dos dados de inflação dos EUA que serão divulgados esta semana.

Jason Lui, chefe de estratégia de derivativos de ações no BNP Paribas, vê chances limitadas de alta para as ações da China em 2024, já que a visibilidade de medidas ou sua implementação não estão muito claras.

Ele acrescentou que o início fraco das ações de Hong Kong neste ano se deve ao fato de o mercado não ter visto "nenhum anúncio importante de novas políticas".

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 2,01%, a 34.441 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,57%, a 16.097 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,54%, a 2.877 pontos.

Continua após a publicidade

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,47%, a 3.277 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,75%, a 2.541 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,40%, a 17.465 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,56%, a 3.179 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,69%, a 7.468 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes