Dólar recua frente ao real antes de dados de inflação de Brasil e EUA

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caía ligeiramente frente ao real nesta quarta-feira, com investidores um pouco mais otimistas em relação a dados de inflação de Brasil e Estados Unidos de quinta.

Às 10:12 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,36%, a 4,8889 reais na venda.

Na B3, às 10:12 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,36%, a 4,9015 reais.

Às vésperas da publicação do IPCA, economistas consultados pela Reuters previram que a inflação mensal do Brasil provavelmente acelerou em dezembro devido ao aumento dos custos dos produtos agrícolas e das passagens aéreas, mas a taxa anual deve ter permanecido próxima da limite superior da meta.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ter subido 0,48% em dezembro, em comparação com aumento de 0,28% em novembro, de acordo com a mediana das estimativas de 23 economistas entrevistados de 3 a 9 de janeiro.

No entanto, a inflação em 12 meses é estimada em 4,54%, abaixo dos 4,68% de novembro e dentro do limite superior da meta, cujo centro é de 3,25% para 2023, com margem de tolerância de 1,50 ponto percentual para mais ou para menos. Os dados serão publicados na quinta-feira.

"A gente está discutindo uma inflação que será um pouco mais alta, mas é muito mais por conta do preço de alimentos, e não por algum desenvolvimento negativo nos componentes do núcleo da inflação", disse Matheus Pizzani, economista da CM Capital.

"Então isso traz uma perspectiva mais positiva para a condução da política monetária aqui dentro, e traz mais estabilidade macroeconômica também, então isso gera esse movimento mais otimista com relação... ao nosso câmbio também", acrescentou ele.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, no exterior, investidores seguem na expectativa por dados inflação norte-americanos de quinta, que podem oferecer pistas sobre a provável trajetória de política monetária do Federal Reserve.

Economistas consultados pela Reuters calculam a inflação anual nos EUA em 3,2% em dezembro, de 3,1% no mês anterior, mas acham que o núcleo do índice ao consumidor cairá a 3,8%, mínima desde meados de 2021, de 4% antes.

Qualquer dado mais alto do que o esperado pode derrubar ainda mais as apostas num início iminente para o ciclo de afrouxamento dos juros nos EUA, embora boa parte do mercado ainda acredite que esse processo possa começar em março.

"Não é um cenário a que nós, particularmente, estamos alinhados; a gente acha que esse corte de juros vai começar um pouco mais tarde, mas, por hora, (a expectativa) deve trazer algum otimismo para o mercado e consequentemente também se traduzir em um ambiente macroeconômico mais positivo", disse Pizzani.

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9068 reais na venda, em alta de 0,76%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes