Ações ficam quase estáveis, conforme balanços compensam dados de inflação dos EUA

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK (Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam praticamente estáveis nesta sexta-feira, depois de oscilarem entre ganhos e perdas modestos, conforme balanços mistos de bancos compensaram dados de inflação dos Estados Unidos mais fracos do que o esperado, o que alimentou esperanças de cortes na taxa de juros pelo Federal Reserve.

Dados mostraram nesta sexta-feira que os preços ao produtor dos EUA caíram inesperadamente em dezembro, uma vez que o custo de mercadorias como alimentos e diesel diminuiu, enquanto os preços de serviços permaneceram inalterados pelo terceiro mês consecutivo, em contraste com a inflação ao consumidor de quinta-feira, que foi mais alta do que o esperado.

As expectativas de um corte na taxa básica de pelo menos 0,25 ponto percentual pelo Fed em março subiram para 79,5%, de acordo com a ferramenta FedWatch da CME, ante 73,2% na sessão anterior. Os dados desta sexta-feira também fizeram com que os rendimentos dos Treasuries caíssem, embora comentários recentes de algumas autoridades do banco central norte-americano tenham afastado qualquer possibilidade de corte nos custos de empréstimos.

O Dow Jones caiu 0,31%, para 37.592,98 pontos. O S&P 500 teve variação positiva de 0,08%, para 4.783,83 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq teve variação positiva de 0,02%, para 14.972,76 pontos.

Na semana, o Dow Jones ganhou 0,34%, o S&P 500 subiu 1,84% e o Nasdaq avançou 3,09%. Os ganhos para o S&P foram a maior alta percentual semanal desde meados de dezembro e, para o Nasdaq, a maior desde o início de novembro.

O Bank of America caiu 1,06% depois que seu lucro do quarto trimestre encolheu, já que o banco registrou 3,7 bilhões de dólares em encargos não recorrentes, enquanto o aviso do Wells Fargo de uma queda de 7% a 9% na receita líquida de juros em 2024 fez com que as ações do banco recuassem 3,34%.

Mas os papéis do Citigroup subiram 1,04% depois que o banco divulgou um prejuízo de 1,8 bilhão de dólares no quarto trimestre e informou que haverá mais cortes de pessoal.

O JPMorgan Chase caiu 0,73%, depois de divulgar seu melhor lucro anual e prever uma receita de juros maior do que a esperada para 2024.

Continua após a publicidade

O índice bancário do S&P 500 terminou em queda de 1,26%, depois de recuar até 1,7%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes