Atividade econômica dos EUA ficou quase estável nas últimas semanas, mostra pesquisa do Fed

Por Lindsay Dunsmuir

(Reuters) - A atividade econômica dos Estados Unidos teve pouca ou nenhuma alteração de dezembro até o início de janeiro, enquanto as empresas relataram que as pressões sobre os preços foram mistas e quase todas citaram sinais de uma desaceleração do mercado de trabalho norte-americano, ressaltando a corda bamba que o Federal Reserve continua a lidar ao tentar reduzir a inflação e, ao mesmo tempo, manter o crescimento e o emprego em alta.

O banco central norte-americano divulgou seu mais recente retrato da saúde da economia dos EUA um dia depois que o diretor do Fed Christopher Waller, uma voz influente do comitê de definição de política monetária, disse que os dados recentes eram "quase tão bons quanto possível", com o crescimento econômico desacelerando gradualmente, a taxa de desemprego permanecendo baixa e os principais indicadores de inflação atingindo a meta de 2% do Fed nos últimos seis meses.

"A maioria dos 12 Distritos do Federal Reserve relatou pouca ou nenhuma mudança na atividade econômica", disse o Fed em sua pesquisa divulgada nesta quarta-feira, conhecida como "Livro Bege", que entrevistou contatos comerciais nos 12 distritos do banco central até 8 de janeiro. "Os consumidores proporcionaram algum alívio sazonal durante as festas de fim de ano, atendendo às expectativas na maioria dos distritos e superando as expectativas em três distritos."

As empresas da maioria dos distritos também observaram que suas expectativas de crescimento futuro eram "positivas, tinham melhorado, ou ambos".

As vendas no varejo foram robustas em dezembro, segundo dados do Departamento de Comércio dos EUA divulgados nesta quarta-feira, sugerindo que os consumidores norte-americanos entraram em 2024 ainda cheios de dinheiro.

O Fed está procurando começar a reduzir seus juros este ano, depois de apertar as condições econômicas durante a maior parte dos últimos dois anos para reduzir a inflação. A taxa básica tem sido mantida na faixa de 5,25% a 5,5% desde julho e, embora deva permanecer inalterada na próxima reunião de fixação de custos de empréstimos, em 30 e 31 de janeiro, os formuladores de política monetária em dezembro previram provisoriamente três cortes nos juros este ano.

De acordo com o indicador preferencial do Fed, a inflação em novembro estava em uma taxa anual de 2,6%, abaixo do pico de 7,1% atingido em junho de 2022.

Mas, como Waller também apontou na terça-feira, as autoridades procederão com cautela no corte dos juros enquanto se certificam de que a baixa da inflação será sustentada.

Continua após a publicidade

O caminho acidentado para o retorno da inflação à meta de 2% do banco central foi destacado na semana passada por uma medida separada dos preços ao consumidor dos EUA, que aumentou mais do que o esperado em dezembro, com os norte-americanos pagando preços mais altos por moradia e assistência médica. Os ganhos salariais também permanecem acima de um nível sustentável.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes