Petrobras prevê retomar obras para 2º trem da Rnest no 2º semestre

Por Marta Nogueira e Fabio Teixeira

(Reuters) -A Petrobras prevê retomar as obras para a construção do segundo conjunto de unidades (trem 2, no jargão do setor) da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), no Complexo Industrial Portuário de Suape, em Pernambuco, no segundo semestre deste ano, informaram executivos da companhia nesta quarta-feira.

Em fase de contratação, a construção do trem 2 da refinaria de petróleo tem previsão para ser concluída em 2028, quando deverá atingir capacidade para processar 260 mil barris de petróleo por dia (bpd), ante 100 mil bpd atualmente, segundo perspectivas da empresa.

"O início da partida do trem 2 está mantido para 2027, mas como estamos falando de várias unidades e um sistema muito complexo, nós vamos ter entregas parciais", disse a gerente executiva de Projetos de Desenvolvimento da Produção da Petrobras, Mariana Cavassin, em uma coletiva de imprensa em Recife, transmitida pelo governo federal.

"Assim que as unidades mais simples da unidade forem concluídas, elas passam a operar e depois gradativamente, até 2028, a gente entrega as demais unidades."

Além disso, a petroleira prevê concluir uma ampliação do trem 1 do empreendimento no primeiro trimestre de 2025. "Esse revamp (ampliação) vai melhorar o escoamento de produtos da refinaria e vai aumentar a capacidade de processamento dos óleos do pré-sal, inclusive", disse a executiva.

A coletiva foi realizada, também com a presença de autoridades federais e estaduais, antes de uma cerimônia programada para quinta-feira na Rnest para marcar a retomada dos investimentos na unidade, com a presença prevista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do CEO da Petrobras, Jean Paul Prates, além de outras autoridades.

A retomada do trem 2 da Rnest já havia sido anunciada em junho de 2023 e já estava prevista no plano estratégico da companhia sob o governo anterior. O projeto tinha sido suspenso em 2015, em meio ao escândalo de corrupção investigado pela Lava Jato que atingiu a Petrobras.

Cavassin reiterou que a Petrobras havia investido cerca de 18 bilhões de dólares na construção do trem 1 e de parte do trem 2 até que as obras fossem paralisadas.

Continua após a publicidade

Os investimentos previstos agora pela Petrobras para a retomada do projeto da Rnest, entretanto, não foram anunciados, para evitar impactos negativos na contratação das obras que ainda está em andamento, segundo a executiva. A companhia aguarda para fevereiro o recebimento de propostas importantes.

O Plano Estratégico quinquenal da Petrobras para o período de 2024 a 2028, publicado em novembro, prevê investimentos de 17 bilhões de dólares para a área de Refino, Transporte e Comercialização, que inclui, entre outras iniciativas, a expansão da capacidade de outras refinarias.

PROJETO "ROBUSTO E VIÁVEL ECONOMICAMENTE"

O movimento ocorre em um momento em que o governo Lula busca aumentar o refino doméstico como forma de reduzir a dependência do país da importação de combustíveis, além de buscar investimentos que gerem emprego e renda para a população.

A expectativa é que as obras da Rnest gerem cerca de 30 mil empregos diretos e indiretos e um acréscimo de cerca de 13 milhões de litros de diesel S10 (de baixo teor de enxofre) por dia à capacidade de produção nacional, segundo Cavassin, destacando que o projeto, "além de um retorno para a sociedade, traz um retorno econômico para a companhia muito significativo".

"Esse projeto da Rnest passou por um processo muito detalhado e rigoroso de reavaliação econômica, ele foi aprovado pelo Conselho de Administração em 2023", adicionou a executiva, frisando que o projeto é robusto e viável economicamente, com retorno positivo.

Continua após a publicidade

A Rnest, atualmente, já representa 6% da capacidade de refino de petróleo da Petrobras e 15% de toda produção da companhia de diesel S10, combustível mais comercializado do país.

A expansão da Rnest será realizada em três importantes etapas. Neste ano, a perspectiva é concluir obras relacionadas a um equipamento de mitigação de emissão de gases (SNOX), que permitirão elevar a capacidade do trem 1 em 15 mil bpd. Para 2025, está prevista a conclusão das obras para a expansão do trem 1, que adicionará outros 15 mil bpd.

Já a construção do trem 2, cujas obras estão ainda em contratação, está prevista para ser concluída em 2028, adicionando os demais 130 mil bpd.

A Rnest é a mais nova refinaria da petroleira, concluída 34 anos depois da Petrobras construir a sua última refinaria de petróleo.

(Por Marta Nogueira e Fábio Teixeira, no Rio de Janeiro; edição de Letícia Fucuchima e Patrícia Vilas Boas)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes