Bank of America revisa previsões e corta preço-alvo de LWSA

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da LWSA recuavam na tarde desta sexta-feira, respondendo pelo pior desempenho do Ibovespa, tendo como pano de fundo relatório de analistas do Bank of America reiterando recomendação de compra para os papéis, mas reduzindo o preço-alvo de 8 para 7,50 reais.

Os analistas revisaram previsões para a companhia em 2024. Agora esperam receita líquida de 1,497 bilhão de reais, de 1,591 bilhão de reais anteriormente. Para o Ebitda reportado, a previsão passou de 307 milhões para 264 milhões de reais. Para o lucro líquido, de 110 milhões para 74 milhões de reais.

Para o quarto trimestre de 2023, a equipe liderada por Fred Mendes espera que a LWSA tenha registrado uma recuperação importante. A expansão da receita líquida deve acelerar a 15% ano a ano, de 9% no terceiro trimestre, apesar da pressão por mudanças estruturais na Yapay.

"Acreditamos que os investidores irão receber bem os resultados do 4T, principalmente devido à melhora sequencial ao longo dos últimos dois trimestres (3T e 2T), especialmente considerando a melhora na margem Ebitda das empresas adquiridas", afirmaram no relatório.

Por volta de 15:40, os papéis da companhia recuavam 2,72%, a 5,72 reais, tendo chegado a 5,58 reais no pior momento, enquanto o Ibovespa rondava a estabilidade

Após tocar no último dia 5 uma mínima intradia desde o final de outubro do ano passado, as ações acumularam uma valorização de 14,55% até a última quarta-feira. Na quinta-feira, data do relatório do BofA, os papéis também recuaram, terminando o dia em baixa de mais de 4%. No mês, contabilizam uma perda de 4,8%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes