China promete punir funcionários por falsificação de dados econômicos

PEQUIM (Reuters) - A China investigará e punirá autoridades por falsificarem dados econômicos, informou o Escritório Nacional de Estatísticas nesta segunda-feira, em meio ao ceticismo sobre a confiabilidade dos dados chineses.

A fabricação de dados econômicos ou a interferência no trabalho estatístico por autoridades persiste apesar das medidas tomadas pelo governo nos últimos anos para melhorar a qualidade dos dados, disse o escritório em um comunicado, citando uma autoridade sênior não identificada.

As autoridades que cometerem fraude de dados "serão encontradas, investigadas e tratadas, e não serão toleradas", disse a autoridade.

"A fraude estatística é a maior corrupção no campo das estatísticas, que viola seriamente a lei de estatísticas, afeta seriamente a qualidade dos dados estatísticos, obstruindo e até mesmo enganando a tomada de decisões", disse a autoridade.

As falas do funcionário seguem-se a novas regras disciplinares do Partido Comunista, que incluem advertências e expulsão de funcionários responsáveis por violações de dados.

Há muito tempo existe ceticismo sobre a confiabilidade dos dados chineses, especialmente porque o governo tem procurado acalmar as preocupações do mercado sobre uma desaceleração prolongada na segunda maior economia do mundo.

A economia cresceu 5,2% em 2023, atingindo a meta oficial, mas analistas preveem que o crescimento desacelerará este ano em meio a uma crise imobiliária, aumento da dívida local e riscos deflacionários persistentes.

(Reportagem de Kevin Yao)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes