Lula diz que dinheiro em educação é investimento para retirar jovens do crime

(Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira ter proibido o uso da palavra "gasto" para tratar do uso de recursos públicos em educação, e disse que cada centavo colocado pelo governo no setor é investimento para evitar que jovens sejam recrutados pelo crime organizado.

Entre os programas citados por Lula e pelo ministro da Educação, Camilo Santana, durante evento para fazer um balanço das políticas educacionais do governo, um dos destaque foi o "Pé de Meia", que destinará 6,1 bilhões de reais em bolsas para que jovens concluam o ensino médio.

"Na verdade o que nós estamos tentando fazer é evitar que esse dinheiro que a gente está colocando na educação seja no futuro colocado em prisões, seja colocado para recuperar um jovem que não teve oportunidade e caiu no crime organizado", disse.

"Ou nós damos oportunidade a esse menino, ou o crime organizado dará", acrescentou.

Em evento para fazer um balanço das políticas educacionais do governo, Lula também disse que durante muito tempo o país foi governado por uma elite que não se preocupava com a educação dos mais pobres.

Lula também disse que a colocação de recursos em educação é "o investimento mais extraordinário que a gente pode fazer" e pediu aos brasileiros que sejam "200 milhões de fiscais" do "Pé de Meia", argumentando que isso é necessário para que o programa dê certo.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes