Empresas de telecom recorrem a Big Techs diante de implementação lenta do 5G na UE

Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) - O grupo de telecomunicações europeu ETNO pediu novamente às Big Techs que ajudem a financiar a implementação das redes banda larga e 5G, divulgando dados que mostram que a Europa está atrás dos Estados Unidos e da Ásia em redes 5G, computação em nuvem, investimentos e receitas.

Os comentários do grupo, cujos membros incluem Deutsche Telekom, Orange, Telefónica e Telecom Italia, surgem no momento em que a Comissão Europeia prepara uma proposta sobre redes digitais e infraestrutura para 21 de fevereiro.

As esperanças do setor de telecomunicações da União Europeia de conseguir que empresas como Google, Amazon, Netflix, Meta e Microsoft ajudem a financiar a implantação do 5G e da banda larga foram frustradas no ano passado, após a Comissão decidir não propor legislação nesse sentido, mas deixar para a próxima equipe em 2025.

Apesar de um recorde de investimentos de 59,1 bilhões de euros pelo setor no ano passado, apenas 10 das 114 redes na Europa são 5G autônomas, afirmou a entidade, citando um relatório encomendado ao grupo de pesquisa Analysys Mason.

Na computação de borda, que aproxima as habilidades de computação do utilizador final, a Europa teve apenas quatro ofertas comercializadas em 2023, contra 17 na região Ásia-Pacífico e nove na América do Norte, afirmou.

"O debate moldará a força de longo prazo do setor de telecomunicações europeu, bem como sua capacidade geral de investimento", disse o relatório.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes