Bolsas

Câmbio

IGP-M tem inflação de 0,20% na primeira prévia de dezembro

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) acelerou a 0,20% na primeira prévia de dezembro, após cair 0,11% no mesmo período do mês anterior, informa a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IGP-M serve de referência para reajustes de contratos, como os de aluguel.

No atacado, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) saiu de queda de 0,29% na primeira prévia de novembro para elevação de 0,30%, na primeira de dezembro. Os produtos agropecuários tiveram baixa de 1,14%, após recuo de 1,04% um mês antes, mas os produtos industriais aceleraram o ritmo de alta, de 0,01% para 0,87%.

Na separação por estágios de produção, Bens finais tiveram recuo menor, de 0,40%, seguindo decréscimo de 1,10%, por conta dos alimentos in natura (-8,51% para -4,97%). O índice relativo aos bens intermediários caiu 0,01%, menos que a redução de 0,39% no mês anterior. A principal contribuição para este comportamento partiu do subgrupo suprimentos (-1,60% para 2,67%). As matérias-primas brutas subiram 1,44%, vindo de incremento de 0,77% na parcial de novembro. Além do minério de ferro (5,18% para 12,60%), se destacaram soja (em grão) (-1,43% para 0,39%) e leite in natura (-8,03% para -6,93%). Em sentido oposto, vale mencionar mandioca (9,17% para -0,29%), milho (em grão) (-1,44% para -4,99%) e bovinos (0,50% para -0,48%).

No varejo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve deflação de 0,02% no primeiro decêndio de dezembro, ante incremento de 0,25% no mês anterior. Das oito classes de despesa, sobressaiu habitação (0,15% para -0,32%), influenciado pela tarifa de eletricidade residencial (0,21% para -3,02%).

Com elevação menos expressiva, apareceram transportes (0,66% para 0,17%), saúde e cuidados pessoais (0,69% para 0,32%) e despesas diversas (0,19% para 0,09%). Mudaram de rumo vestuário (0,23% para -0,74%) e comunicação (0,63% para -0,10%). Leitura e recreação avançaram de 0,11% para 0,73% e alimentação foi de baixa de 0,15% para queda de 0,11%.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou a alta de 0,27% para 0,12% da primeira prévia de novembro para a leitura inicial de dezembro. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços caiu 0,01%, após ter ficado estável no mês anterior. O custo da mão de obra apresentou variação positiva de 0,22%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos