Bolsas

Câmbio

Moedas emergentes sobem 3,4% no ano, após tombo de 21% em 2015

As moedas emergentes registram na penúltima sessão do ano a maior valorização em 17 dias, operando nos maiores patamares em pouco mais de duas semanas.

O movimento reflete um alívio nos juros dos Treasuries, cuja disparada desde a eleição de Donald Trump nos EUA (em 8 de novembro) pressionou ativos emergentes de forma geral.

Às 16h, as principais moedas emergentes subiam, em média, 0,73% ante o dólar, maior valorização desde a alta de 1,23% do dia 12. O patamar alcançado é o mais alto desde o dia 13.

A variação considera os desempenhos do real brasileiro, peso mexicano, lira turca, rublo russo e rand sul-africano.

Desde a mínima atingida em 1º de dezembro, esse grupo de divisas já se valorizou 3,20%. Porém, ainda acumula queda de 3,84% desde as eleições americanas.

Em 2016, essas moedas avançam 3,42%, depois de um tombo de 21,30% em 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos