Anvisa proíbe venda de extrato de tomate Quero com pelo de roedor

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a distribuição e venda de um lote do extrato de tomate da marca Quero, produzido pela Heinz Brasil, por apresentar pelo de roedor e representar risco à saúde.


Segundo a Anvisa, o laudo do lote L. 11 07:35 "apresentou resultado insatisfatório ao detectar matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente". O produto foi fabricado em Nerópolis (GO).


A Heinz deverá recolher o estoque do produto em todo o país.


A informação está publicada no "Diário Oficial da União" (DOU) desta segunda-feira (20).


Empresa


A marca Quero informou que, em agosto de 2016, recolheu o referido lote de molho de tomate. O lote foi fabricado em dezembro de 2015.


Segundo a Quero, a publicação da Anvisa foi "protocolar", uma vez que o problema foi solucionado.


Em nota, a Quero afirma ter feito "grandes investimentos em novas tecnologias para aumentar ainda mais a qualidade do tomate no campo e de seus produtos, e grandes progressos foram alcançados". A companhia acrescenta que "os rigorosos controles no processo produtivo garantem a eliminação de qualquer risco ou prejuízo à saúde".


A Quero disse ser transparente em todas as etapas da produção, do recebimento de ingredientes até a distribuição final, atendendo às legislações aplicáveis a alimentos, de forma a oferecer aos consumidores total confiabilidade no alto padrão de qualidade da marca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos