Investidor embolsa lucros e Ibovespa fecha em baixa

A queda no preço das commodities desencadeou um movimento de realização de lucros na bolsa de valores. Os preços do petróleo e do minério de ferro caíram no mercado internacional e derrubaram as ações da Vale e da Petrobras, as mais negociadas no mercado de ações. A divulgação de diversos balanços financeiros com resultados abaixo do esperado e o recuo das bolsas dos Estados Unidos foram outros fatores que fizeram com que o índice fechasse em baixa. O Ibovespa recuou 0,67% aos 68.590 pontos.


A ação que mais caiu foi o papel preferencial da Bradespar, com recuo de 5,34%. A ação havia subido 16,6% na segunda-feira após o anúncio de reorganização societária da Vale. As ações PNA da Vale caíram 2,10% e as ações ordinárias tiveram baixa de 2,39%. O preço da tonelada do minério de ferro caiu 0,6% em Qingdao, na China, para US$ 94,30. As demais ações das empresas de siderurgia também fecharam em baixa. Os papéis da CSN caíram 5% e as ações da Usiminas recuaram 2,40%.


As ações da Petrobras fecharam em baixa, seguindo a queda do preço do petróleo no mercado internacional. As ações preferenciais caíram 2,42% e os papéis ordinários tiveram baixa de 3,26%. Os contratos futuros de petróleo WTI com vencimento em abril caíram 1,4% a US$ 53,59 o barril, em um movimento de realização de lucros.


Entre as empresas que divulgaram balanços financeiros, os papéis da Braskem fecharam com baixa de 0,38%. A empresa divulgou uma prévia não auditada do resultado do quarto trimestre do ano passado. Os números estão sujeitos a ajustes e modificação quando houver a divulgação das demonstrações auditadas. A petroquímica reverteu o lucro líquido de R$ 96 milhões registrado no quarto trimestre e teve um prejuízo líquido de R$ 2,55 bilhões no mesmo período do ano passado.


Os papéis da Gerdau caíram 4,10%% e as ações da Gerdau Metalúrgica tiveram baixa de 3,44%. O grupo siderúrgico Gerdau informou que registrou prejuízo líquido de R$ 3,07 bilhões no quarto trimestre de 2016. O motivo da perda foi uma baixa contábil pela não recuperabilidade do valor de ativos, especialmente na unidade da empresa na América do Norte. Frente ao mesmo período do ano anterior, a empresa conseguiu reduzir as perdas em 3% - na época - outra baixa havia causado prejuízo de R$ 3,17 bilhões.


As ações da PDG Realty fecharam com queda de 10,84% depois de empresa ter entrado com um pedido de recuperação judicial. A recuperação da PDG contempla dívidas de R$ 7,6 bilhões da holding e de cerca de 510 sociedades de propósito específico (SPEs), conforme apurou o Valor.


Já a ação da Telefônica, dona da marca Vivo, fechou com alta de 1,79% depois que a empresa informou que registrou lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no quarto trimestre de 2016, crescimento de 9% em relação ao mesmo período de 2015. No ano, o lucro atingiu R$ 4,08 bilhões, alta de 22,6% na comparação atual. As ações do Bradesco subiram 2,06%.


Nos Estados Unidos, os índices acionários americanos fecharam em baixa. O S&P 500 caiu 0,11% aos 2.362 pontos, o Nasdaq teve baixa de 0,09% aos 5.860 pontos e o Dow Jones fechou com leve alta de 0,16% aos 20.775 pontos. O Fed, o banco central americano, divulgou a ata da última reunião de política monetária em que decidiu manter os juros inalterados entre 0,5% e 0,75% ao ano.


O documento mostrou que os integrantes do Fed sinalizaram que podem elevar as taxas de juros de novo "relativamente em breve". O Fed se reúne novamente entre 14 e 15 de março. "Em discussão sobre o cenário para a política monetária no período a frente, muitos integrantes expressaram a visão que pode ser apropriado elevar a taxa dos Fed Funds relativamente em breve se as informações sobre o mercado de trabalho e inflação estiverem em linha ou mais fortes que a expectativa atual com ou se houver riscos de ultrapassar os objetivos de pleno emprego e inflação", informou a ata.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos