PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Ibovespa cai com exterior, mas sustenta alta no mês

28/02/2018 18h51

O Ibovespa encerrou o último pregão de fevereiro, nesta quarta-feira (28), com perdas mais fortes pela combinação de três fatores: a queda das ações da Vale, a realização de lucros dos investidores e um dia negativo no exterior, com quedas nas bolsas americanas e nos preços do petróleo.Esses elementos levaram o Ibovespa a cair 1,82%, aos 85.354 pontos, depois de tocar a mínima intradia nos 85.199 pontos.


O volume financeiro foi forte, de R$ 15,2 bilhões, acima da média do mês, de R$ 10 bilhões. É o maior giro desde que a delação dos donos da JBS, em 18 de maio do ano passado, levou o índice a movimentar R$ 20,6 bilhões. A queda do Ibovespa combinada com o forte volume reforça que a saída do investidor, hoje, se deu de forma consolidada.


Porém, mesmo com a baixa no dia, a bolsa brasileira conseguiu sustentar um ganho em fevereiro de 0,52%. No acumulado de 2018, a alta é de 11,72%. Um operador destaca a força do mercado brasileiro, que garantiu altas mensal e anual, enquanto os principais indicadores americanos e europeus acumularam quedas ? em Nova York, as baixas dos índices ficaram entre 2% e 4% em fevereiro.


Destaques


Os destaques no dia foram papéis de importante peso e liquidez para o Ibovespa, caso de Itaú Unibanco PN (-3,39%) e Vale ON (-4,82%). Com algum alívio nas perdas perto do fechamento, a Petrobras PN cedeu 0,19%, enquanto a ON subiu 0,13%.


As ações da mineradora Vale reagiram não só à realização de lucros possível depois do ganho acumulado no mês como também à notícia de que os controladores da empresa estariam preparando uma oferta subsequente ("follow-on") para sair da empresa, conforme o "Broadcast". As repórteres Talita Moreira e Graziella Valenti, do Valor, informam, porém, que a oferta só deve ser realizada no segundo trimestre.


Apesar da especulação acentuar as perdas no papel da mineradora nesta tarde, o ativo reagiu desde cedo a dados piores do que o esperado no lucro da empresa no quarto trimestre e também ao dado abaixo das expectativas do PMI industrial da China.


Pela manhã, o Ibovespa chegou a oscilar no campo positivo, mas acabou cedendo à realização de lucros, enquanto o exterior ensaiava um pregão mais positivo. Durante a tarde, a piora no movimento do petróleo limitou os ganhos das bolsas em Nova York e afetou também o Brasil.


Segundo Ari Santos, gerente da mesa de operações da H. Commcor, a alta em fevereiro e a recente escalada da bolsa de valores leva o investidor a preferir embolsar ganhos no fim do mês. "Mas muita gente vai aproveitar essa queda para se posicionar novamente, porque a perspectiva de ganhos para a bolsa ainda é importante e as projeções dos analistas seguem sustentadas."


Já para Marco Tulli Siqueira, gestor de operações da Coinvalores, o Ibovespa subiu muito rápido e num curto espaço de tempo, fazendo com que ajustes sejam naturais. "Mesmo com essa realização de lucros, o resultado da economia está sendo muito positivo e a entrada de fluxo estrangeiro continua."