Bolsas

Câmbio

Direto da BolsaDireto da Redação

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Chefe do FMI rebate Meirelles: prioridade deve ser combate à desigualdade

Após ouvir o ministro da Fazenda brasileiro, Henrique Meirelles, defender a necessidade de adotar amargas reformas, como o governo Michel Temer tem feito no país, a presidente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde afirmou nesta quarta-feira (18) que a prioridade das políticas econômicas precisa ser o combate à desigualdade social. O comentário de Lagarde ocorreu durante a participação de ambos em um painel do Fórum Econômico Mundial, que ocorre em Davos, na Suíça. "Não sei por que as pessoas não escutaram a mensagem [de que a desigualdade é nociva], mas certamente os economistas se revoltaram e disseram que não era problema deles. Inclusive na minha própria instituição, que agora se converteu para aceitar a importância da desigualdade social e a necessidade de estudá-la e promover políticas em resposta a ela", afirmou Lagarde. (Com BBC) Leia Mais

Bolsa fecha em queda de 0,32%, puxada por Petrobras e bancos; Vale salta 5%

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, operou a maior parte do dia em alta, mas inverteu o sentido no fim da tarde e fechou esta quarta-feira (18) em queda de 0,32%, a 64.149,57 pontos, após duas altas seguidas. Na véspera, a Bovespa havia fechado com avanço de 0,82% e atingido o maior nível desde 31 de outubro. A baixa desta quarta-feira foi influenciada, principalmente, pela queda nas ações da Petrobras e dos bancos. No lado positivo, os papéis da mineradora Vale saltaram 5%, impulsionados pela possibilidade de unificação das ações da empresa. (Com Reuters) Leia Mais

"Faz sentido" aumentar juros gradualmente, diz chefe do BC dos EUA

Com a economia dos Estados Unidos perto do pleno emprego e a inflação no caminho para o objetivo de 2% do governo, "faz sentido" para o Fed (Federal Reserve, o banco central norte-americano) elevar gradualmente as taxas de juros, afirmou a presidente do Fed, Janet Yellen, nesta quarta-feira (18). "Esperar muito tempo para começar a mover-se em direção à taxa neutra poderia levar a uma surpresa desagradável no caminho, ou muita inflação, instabilidade financeira, ou ambos", disse Yellen em São Francisco. "Nesse cenário, poderíamos ser forçados a elevar as taxas de juros rapidamente, o que por sua vez poderia levar a economia a uma nova recessão". (Com Reuters) Leia Mais

"Faz sentido" aumentar juros gradualmente, diz chefe do BC dos EUA - Eugene Hoshiko/AP

Dólar sobe 0,2% e fecha a R$ 3,219, com cautela antes da posse de Trump

dólar comercial fechou esta quarta-feira (18) em alta de 0,2%, a R$ 3,219 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana havia fechado com queda de 0,81%. A sessão foi marcada pela expectativa em torno da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e por nova atuação do Banco Central no mercado de câmbio. (Com Reuters) Leia Mais

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta; Alemanha avança 0,51%

A maioria das Bolsas de Valores da Europa fechou em alta nesta quarta-feira (18). O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, subiu 0,26%, a 1.433 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 avançou 0,18%, a 363 pontos, acumulando ganhos de quase 10% nos últimos dois meses. Do lado negativo, ficaram as ações do grupo britânico de educação Pearson, que despencaram quase 30%, após a empresa cortar suas perspectivas de lucro para os próximos dois anos.

  • Alemanha: +0,51%
  • Inglaterra: +0,38%
  • Itália: +0,32%
  • Portugal: +0,18%
  • Espanha: -0,09%
  • França: -0,13% (Com Reuters)
Leia Mais

Dólar sobe, vendido perto de R$ 3,22; Bovespa opera quase estável

dólar comercial subia e a Bolsa operava quase estável nesta quarta-feira (18). Por volta das 16h25, a moeda norte-americana se valorizava 0,26%, a R$ 3,221 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, tinha leve alta de 0,05%, a 64.386,06 pontos. O Banco Central fez hoje novo leilão de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares), o segundo para rolagem dos contratos que vencem em fevereiro, com oferta de até 12 mil contratos. Investidores também devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Dólar opera em alta, vendido perto de R$ 3,22; Bovespa sobe

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 15h30, a moeda norte-americana se valorizava 0,28%, a R$ 3,222 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,25%, a 64.515,36 pontos. O Banco Central fez hoje novo leilão de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares), o segundo para rolagem dos contratos que vencem em fevereiro, com oferta de até 12 mil contratos. Investidores também devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Ações da Vale chegam a subir mais de 6% na Bolsa

As ações da mineradora Vale operavam em forte alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 15h15, os papéis ordinários (VALE3), que dão direito a voto em assembleia, avançavam 6,25%, a R$ 32,48. No mesmo horário, as ações preferenciais (VALE5), com prioridade na distribuição de dividendos, subiam 4,84%, a R$ 29,87. Empresas detentoras de ações da Vale estão em negociação para renovar o acordo de acionistas, que expira em abril, e avaliam a migração das duas classes de ações da mineradora, preferenciais e ordinárias, para uma única classe de ações ordinárias ao término do período do novo acordo, informou nesta quarta-feira (18) o jornal Valor Econômico, citando três fontes próximas das discussões. (Com Reuters) 

Confiança do empresário sobe pela primeira vez em três meses

O Índice de Confiança do Empresário Industrial alcançou 50,1 pontos em janeiro de 2017, o que significa aumento de 2,1 pontos com relação a dezembro. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (18) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). É a primeira vez que o índice sobe em três meses. Além disso, o indicador ficou ligeiramente acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa o pessimismo do otimismo. Com relação a janeiro de 2016, o índice subiu 13,6 pontos. No entanto, continua abaixo da média histórica, de 54,1 pontos. (Com Agência Brasil) 

Samarco deve voltar a operar em 2 meses, diz ministro de Minas

A mina de minério de ferro brasileira de propriedade da Vale e da BHP Billiton, fechada desde o fim de 2015, "provavelmente" estará operacional novamente nos próximos dois meses, disse o ministro de Minas e Energia do Brasil, Fernando Coelho Filho. Em entrevista no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, na terça-feira (17), o ministro disse acreditar que a Samarco Mineração "voltará aos negócios tendo abordado todos os problemas ambientais e legais" enfrentados desde o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, que matou 19 pessoas. A tragédia, ocorrida em novembro de 2015, é considerada o pior desastre ambiental do país. (Com Bloomberg)  Leia Mais

Estados Unidos fecham 2016 com maior inflação em 5 anos

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos Estados Unidos subiu 0,3% em dezembro, fechando o ano de 2016 em 2,1%, a taxa mais alta desde 2011, que foi de 3%, informou nesta quarta-feira (18) o Departamento de Trabalho. Os preços da energia subiram 1,5% em dezembro, o que elevou o aumento acumulado em 2016 para 5,4%. Os alimentos, por outro lado, se mantiveram estáveis pelo sexto mês consecutivo e fecharam o ano com uma deflação de 0,2%. (Com EFE)  Leia Mais

Dólar opera em alta, vendido perto de R$ 3,22; Bovespa sobe

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 14h30, a moeda norte-americana se valorizava 0,31%, a R$ 3,223 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,46%, a 64.651,06 pontos. O Banco Central fez hoje novo leilão de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares), o segundo para rolagem dos contratos que vencem em fevereiro, com oferta de até 12 mil contratos. Investidores também devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Dólar opera em alta, vendido perto de R$ 3,22; Bovespa sobe

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 13h40, a moeda norte-americana se valorizava 0,15%, a R$ 3,217 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,17%, a 64.462,92 pontos. O Banco Central fez hoje novo leilão de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares), o segundo para rolagem dos contratos que vencem em fevereiro, com oferta de até 12 mil contratos. Investidores também devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Oi concorda em converter dívida em ações já em novo plano, diz fonte

A Oi concordou em alterar seu plano de reestruturação para aplacar as duas maiores preocupações dos grupos de credores, segundo uma pessoa próxima às negociações. A operadora de telecomunicações poderá converter cerca de R$ 5 bilhões em dívidas dos detentores de títulos em ações antecipadamente. As conversas atualmente estão concentradas no tamanho da diluição que a conversão representaria para os acionistas, disse a pessoa, que pediu anonimato por discutir negociações privadas. A Oi também concorda em usar parte dos recursos da venda de negócios para pagar os credores, segundo a fonte. A Oi preferiu não comentar. (Com Bloomberg)  Leia Mais

Fundo Onyx Latin America reduz a 4,88% participação na Anima Educação

O Onyx Latin America Equity Fund reduziu sua participação na Anima Educação para 4,88%, passando a deter 3,954 milhões de ações da empresa, disse o grupo de educação em comunicado nesta quarta-feira (18). Em novembro, o fundo detinha uma fatia de 5,05% na companhia, de acordo com dados da Bovespa. (Com Reuters).

Bolsa e dólar operam em alta; moeda é vendida perto de R$ 3,22

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 12h35, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,17%, a 64.461,2 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana se valorizava 0,36%, a R$ 3,224 na venda. O Banco Central fez hoje novo leilão de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares), o segundo para rolagem dos contratos que vencem em fevereiro, com oferta de até 12 mil contratos. Investidores também devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Políticas protecionistas de Trump são maior risco em 2017, dizem economistas

As promessas do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, são o principal risco ao crescimento, de acordo com pesquisa da Reuters, que mostra que os economistas não compartilham da exuberância mostrada no mercado desde a eleição em novembro. Durante a maior parte de sua campanha, e após a vitória, Trump prometeu fazer mudanças nas políticas comercial e de imigração dos EUA, ameaçou adotar pesadas tarifas sobre as importações chinesas e propôs fortes cortes tributários. Mais de dois terços dos 70 entrevistados na pesquisa da agência Reuters disseram que as políticas protecionistas de Trump são a maior ameaça para a maior economia do mundo este ano. (Com Reuters)  Leia Mais

Produção de petróleo da Opep cai em dezembro, aponta relatório

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) sinalizou nesta quarta-feira (18) uma redução do excedente de oferta em 2017, com o volume produzido pelo grupos caindo e com produtores de fora do cartel mostrando sinais positivos de adesão ao acordo para redução da produção, o primeiro do gênero desde 2001. Em relatório mensal, a Opep informa que sua produção, excluindo a da Indonésia, somou 33,085 milhões de barris por dia (bpd) em dezembro, tendo como base dados coletados de fontes secundárias, uma redução de 221 mil bpd ante novembro. (Com Reuters) 

BC entrou em novo ritmo de corte de juros, diz Ilan Goldfajn

O Banco Central entrou em um novo ritmo de corte de juros, afirmou nesta quarta-feira (18) o presidente do BC, Ilan Goldfajn, destacando que a redução de 0,75 ponto percentual adotada na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) representa este novo padrão. Durante coletiva de imprensa em inglês no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, ele afirmou, por outro lado, que a intensidade dos cortes nos juros básicos pode mudar em função de fatores como expectativas de inflação, projeções e nível da atividade econômica. (Com Reuters)  Leia Mais

Bolsa e dólar operam em alta; moeda é vendida perto de R$ 3,22

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (18). Por volta das 11h35, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,26%, a 64.518,68 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana se valorizava 0,29%, a R$ 3,222 na venda. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quarta, durante o  Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, que a economia brasileira será bastante atraente para investidores em função de sua recuperação. Investidores devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen. (Com Reuters)

Equipe econômica prevê queda de 0,5% do PIB no 4º trimestre

O Brasil completou em 2016 dois anos de recessão econômica, segundo cálculos do governo. A equipe econômica estima que a atividade encolheu 0,5% no último trimestre do ano passado em relação aos três meses anteriores. Caso seja confirmado pelo IBGE, instituto oficial de estatísticas, em divulgação prevista para o dia 7 de março, o resultado será o oitavo negativo consecutivo nessa base de comparação e levará à queda de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016. (Com Estadão Conteúdo)  Leia Mais

Governo federal deve lançar 'poupatempo' digital

O governo quer oferecer todos os serviços públicos em uma plataforma online. A meta é buscar economia semelhante à resultante da prática de digitalização em outros países. Numa única plataforma online, segundo o governo, o cidadão poderá encontrar todos os serviços, uma espécie de Poupatempo digital. Para autenticar a veracidade da pessoa que fez o pedido, o governo já assinou acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para utilizar o banco de dados de biometria do órgão, que tem a identificação de 55 milhões de digitais dos eleitores. (Com Estadão Conteúdo)  Leia Mais

Recuperação tornará Brasil atraente para investidores, diz Meirelles

A economia brasileira será bastante atraente para investidores em função de sua recuperação, afirmou nesta quarta-feira (18) o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, acrescentando ter recebido muitas manifestações de interesse no país durante conversas no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. Em entrevista coletiva dada em inglês, Meirelles disse enxergar melhoria nos fundamentos econômicos brasileiros e que esse processo seguirá em curso. Também presente, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou que a expectativa é que a atividade volte ao campo positivo neste ano em meio aos cortes de juros e reformas. (Com Reuters)

Bolsa e dólar operam em alta; moeda é vendida perto de R$ 3,22

A Bolsa abriu o dia operando em alta nesta quarta-feira (18), enquanto o dólar comercial subia. Por volta das 10h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 0,39%, a 64.607,27 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana se valorizava 0,25%, a R$ 3,22 na venda. Investidores devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, e uma entrevista coletiva com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça. (Com Reuters)

Dólar abre o dia operando em alta, vendido perto de R$ 3,23

O dólar comercial abriu os negócios desta quarta-feira (18) operando em alta, após cair 0,81% na véspera. Por volta das 9h, a moeda norte-americana subia 0,41%, a R$ 3,227 na venda. Investidores devem acompanhar, ao longo do dia, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, e uma entrevista coletiva com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça. (Com Reuters)

Bolsa do Japão fecha em alta de 0,43%; mercado também sobe na China

O índice japonês Nikkei fechou em alta de 0,43%, com a desvalorização da moeda local, o iene, em relação ao dólar. A Bolsa da China também subiu, 0,14%, com grandes indústrias prevendo lucros acentuadamente mais altos em 2016, embora as empresas menores tenham ficado perto da mínima de 16 meses. Veja as variações nos principais mercados da Ásia e no Pacífico:

  • Japão: +0,43%
  • Hong Kong: +1,13%
  • China: +0,14%
  • Coreia do Sul: -0,06%
  • Taiwan: -0,13%
  • Cingapura: -0,42%
  • Austrália: -0,36%. (Com Reuters)
Leia Mais

Conversor de moedas

Resultado:

Câmbio

Dólar comercial - 18/01/2017 16h59
Compra Venda Variação
Dólar com. 3,2183 3,2190 +0,21%
Dólar tur. 3,0700 3,3900 0,0%
Euro 3,4376 3,4403 +0,06%
Libra 3,9654 3,9682 -0,36%
Pesos arg. 0,2023 0,2025 +0,2%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 18/01/2017 18h22 - 64.149,57
Variação
Brasil | Bovespa -0,32%
EUA | Nasdaq +0.31%
França | CAC 40 -0.13%
Japão | Nikkei +0.71%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Ações em destaque

Ação Variação Cotação
Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 53,430 0,0%
Ouro US$ 1203,070 -0,02%
Prata US$ 17,011 -0,11%
Platina US$ 966,950 +0,43%
Paládio US$ 751,520 +0,2%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA dez.16 +0,3%
IPC-Fipe dez.16 +0,72%
IGP-M dez.16 +0,54%
INPC dez.16 +0,14%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 937,00 2017
Global 40 +112,32% 19.Jan.2017
TR +0,18% 19.Jan.2017
CDI +12,88% 19.Jan.2017
SELIC +13,0% 11.jan.2017
IPCA +0,3% dez.16

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos